Mercado fechará em 5 h 29 min
  • BOVESPA

    106.274,65
    -99,22 (-0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.973,27
    +228,35 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,31
    +1,49 (+1,78%)
     
  • OURO

    1.805,60
    -10,90 (-0,60%)
     
  • BTC-USD

    41.575,24
    -1.099,81 (-2,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    992,95
    -32,78 (-3,20%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.570,61
    -40,62 (-0,53%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    28.257,25
    -76,27 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    15.346,25
    -249,50 (-1,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2844
    -0,0094 (-0,15%)
     

Project Guardian: conheça a lista VIP de protegidos do Twitter

·3 min de leitura
(Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
(Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Lista contém perfis de alto destaque na plataforma, como políticos e celebridades

  • Pessoas de destaque repentino e efêmero também são incluídas momentaneamente na lista

  • Maio parte dos inclusos não sabe que está sendo protegida

A publicação americana revelou nesta quarta-feira (08), a existência de uma lista VIP montada pelo Twitter, composta de usuários de destaque da plataforma (aqueles que estão recebendo muita atenção, ou possuem muitos seguidores).

A lista tem como objetivo oferecer a esses usuários um maior nível de proteção a ataques e assédios do que recebem os usuários normais. A lista tem o codinome de Project Guardian, ou Projeto Guardião, em português.

A lista inclui pessoas de diversos setores sociais, como políticos, jornalistas, músicos ou atletas profissionais. Quando alguém reporta mensagens abusivas relacionadas a esses usuários, o algoritmo do Twitter prioriza esses relatórios, o que significa uma análise mais rápida pelo time de moderação.

Para a plataforma, ao remover esse conteúdo de forma mais ágil, eles estariam impedindo que ele tenha um maior alcance e se espalhe pela rede social. A iniciativa também ajuda a manter a experiência desses usuários protegidos, mantendo-os na plataforma.

Segundo o Twitter, a maior parte das pessoas incluídas no Projeto Guardião não sabe que faz parte da lista.

Leia também:

“O Project Guardian é apenas o nome interno de uma das muitas ferramentas automatizadas que implantamos para identificar conteúdo potencialmente abusivo”, disse Katrina Lane, vice-presidente da organização de serviços do Twitter, que administra o programa, em um comunicado. “As técnicas que utiliza são as mesmas que protegem todas as pessoas do serviço.”

De acordo com Yoel Roth, chefe de integridade da plataforma, a lista de usuários protegidos muda regularmente. O programa também é utilizado na proteção de pessoas que involuntariamente se colocaram nos holofotes por conta de um tweet polêmico, ou pelo ataque repentino de uma multidão na plataforma.

A razão pela qual esse conceito existia é por causa do fenômeno da 'pessoa do dia'”, diz Roth. “E com base nisso, existem algumas pessoas que são a ‘pessoa do dia’ na maioria dos dias, então o Project Guardian seria uma forma de protegê-los.”

Moderação e inteligência artificial

Apesar da moderação ser realizada, em última instância, por um time de pessoas, a empresa afirmou estar ficando melhor na detecção de abusos e assédio automaticamente, o que significa que não precisa esperar que um usuário relate um problema antes de enviá-lo a um moderador humano.

Segundo dados da própria empresa, a tecnologia hoje é responsável por 65% do conteúdo abusivo removido.

De acordo com Lane, a combinação do da inteligência artifical e a análise humana é muito eficaz para monitorar tweets e tendências de maneira proativa, especialmente quando alguém é colocado no centro das atenções de forma inesperada ou quando há um aumento significativo no abuso ou assédio”.

Proteção da própria reputação 

O Twitter também usa o sistema para proteger sua reputação na mídia. No passado diversos perfis de alto destaque abandonaram a plataforma após a empresa falhar em conter os assédios recebidos.

É o caso da modelo Chrissy Teigen, da cantora Lizzo, do ator Leslie Jones, além de inúmeros outros que reclamam da ineficiência da plataforma.

Recentemente o número dessas celebridades expondo suas reclamações diminuiu, e pessoas familiarizadas com o Project Guardian afirmam que ele é um dos principais responsáveis.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos