Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.707,76
    +195,76 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.734,04
    -67,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,47
    -0,64 (-0,73%)
     
  • OURO

    1.777,40
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    23.328,82
    -559,01 (-2,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,23
    -15,58 (-2,72%)
     
  • S&P500

    4.274,04
    -31,16 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    33.980,32
    -171,69 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.515,75
    -20,31 (-0,27%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    +91,95 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    29.222,77
    +353,87 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    13.486,75
    -6,50 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2597
    +0,0279 (+0,53%)
     

Alesp agilizará projeto para suspender Pix em SP

·1 min de leitura
PIX
Alguns deputados votaram contra a medida

(Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)

  • Alesp aprova requerimento para acelerar a tramitação da proposta que proíbe o uso do Pix

  • Projeto de lei prevê que o sistema seja liberado apenas quando for seguro

  • Texto deve ser pautado em plenário nas próximas semanas

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta terça-feira (30), um requerimento para acelerar a tramitação do projeto de lei que proíbe o uso do Pix no estado. Agora, o texto deve ser analisado pelas comissões e espera-se que seja pautado em plenário nas próximas semanas.

Leia também:

A proposta é de autoria do deputado Campos Machado (Avante), que alega que o método só deve ser liberado quando o Banco Central tomar medidas para torná-lo mais seguro. Segundo o parlamentar, depois que o Pix foi criado, houve um aumento na criminalidade, que passou a se beneficiar das facilidades trazidas pelo sistema. No fim de setembro, o deputado Alexandre Frota (PSDB) também apresentou um projeto similar.

A Alesp deve ainda pedir ao Banco Central um laudo técnico que ateste a segurança do meio de pagamentos. Em outubro, a entidade implementou um limite de transferências noturnas e outras medidas para contornar o aumento nos assaltos e sequestros relâmpagos.

Contrários à decisão

Alguns parlamentarem foram contrários ao requerimento para agilizar a proibição do Pix. São eles: Douglas Garcia (PTB), Caio França (PSB), Ricardo Mellão (Novo), Arthur do Val (Patriotas), Janaina Paschoal (PSL), Gilmaci dos Santos (Republicanos), Carla Morando (PSDB), Valéria Bolsonaro (PRTB) e Carlos Giannazi (PSOL).

Enquanto alguns apontaram a importância do Pix para a retomada econômica, outros afirmaram que o cidadão não pode ser proibido de usar o sistema. As informações são do Brasil Econômico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos