Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,66 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,98
    -1,15 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.855,50
    -10,40 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    32.762,05
    +967,72 (+3,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,44
    +41,45 (+6,79%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,03 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,91 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.631,45
    -125,41 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6542
    +0,1458 (+2,24%)
     

Profissionais de saúde da Indonésia apelam à população para tomar vacina contra Covid

Yuddy Cahya Budiman
·1 minuto de leitura
A doctor receives a dose of the Sinovac's vaccine, at a hospital in Pekanbaru

Por Yuddy Cahya Budiman

JACARTA (Reuters) - Trabalhadores de saúde em uma clínica de Jacarta fizeram um apelo na quinta-feira para que os indonésios tomem a vacina contra Covid-19 ao iniciar uma campanha de vacinação no quarto país mais populoso do mundo.

A Indonésia enfrenta um dos piores surtos de coronavírus na Ásia e, nos últimos dias, relatou recorde de casos, com o total de infecções agora em 869.000 e mortes chegando a 25.000.

O presidente Joko Widodo recebeu na quarta-feira a primeira injeção da vacina fornecida pela chinesa Sinovac Bitoech, a CoronaVac, para iniciar uma campanha para inocular dois terços da população de 270 milhões do país.

"É melhor ser vacinado porque pode ajudar a nós, os profissionais de saúde", disse Tri Ardhyanti, farmacêutico do Centro de Saúde Pública Cilandak em Jacarta, onde mais de 60 profissionais de saúde foram vacinados no primeiro dia.

O ceticismo em relação às vacinas é um desafio adicional para a Indonésia em seu plano de vacinar mais de 180 milhões de pessoas nos próximos 15 meses.

Uma pesquisa de dezembro mostrou que apenas 37% dos indonésios estavam dispostos a ser vacinados, enquanto 40% considerariam e 17% recusariam.

Luky Satria, obstetra de 49 anos, disse que as vacinas só serão eficazes se o público as tomar.

"Estamos exaustos e cansados da Covid-19 que não parece estar terminando. O programa de vacinação tem que ser ampliado - algumas pessoas não podem tomar, algumas rejeitam", afirmou Luky.