Mercado abrirá em 4 h 48 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,54
    +0,08 (+0,13%)
     
  • OURO

    1.763,20
    -3,60 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    61.728,26
    -1.579,72 (-2,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.373,46
    -7,49 (-0,54%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.007,95
    +24,45 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    28.996,45
    +203,31 (+0,71%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    13.972,25
    -41,75 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7152
    -0,0059 (-0,09%)
     

Professor é demitido de universidades após comentário sobre estupro: “Relaxe e aproveite”

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Comentário foi feito em aula remota no Paraná (AP Photo/Michel Euler)
Comentário foi feito em aula remota no Paraná (AP Photo/Michel Euler)

Um professor foi demitido de duas universidades no Paraná após um comentário feito por ele durante aula remota ser considerado apologia ao estupro. Ricardo Germano Efing sugeriu que quando a violência for iminente, a mulher “relaxe e aproveite”.

É algo, meu amigo, que você tem que se adaptar. Desculpem, meninas, eu sei que é chulo o que vou dizer. Mas é aquele ditado: ‘Se o estupro é inevitável e iminente, relaxe e aproveite’”, declarou.

Leia também

Um perfil no Facebook identificado como Eliane Bueno gravou o momento da fala do professor e reproduziu, gerando críticas a Ricardo. “Nojo”, “apologia ao crime”, “escória” foram alguns dos comentários feitos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A afirmação do professor aconteceu em aula do quinto semestre do curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário do Vale do Iguaçu (Uniguaçu), em União da Vitória, no Paraná. E um dia após a postagem do vídeo, a faculdade anunciou a demissão de Ricardo.

Em razão dos fatos ocorridos na aula on-line, a Uniguaçu informa que assim que tomado conhecimento celeremente reportou-se primeiramente à turma com pedido de escusas, e logo a seguir deliberou pela tomada de medidas administrativas para desligamento imediato do professor”, divulgou em nota.

Outra escola em que o professor lecionava, o Centro Universitário Campo Real, em Guarapuava, também no Paraná, tomou a mesma atitude e informou que “imediatamente deliberou sobre as medidas administrativas cabíveis para o desligamento”.

Professor diz que frase estava “descontextualizada”

Ricardo também se manifestou por meio de nota, afirmou que o vídeo em questão continha apenas “um pequeno fragmento descontextualizado da aula transmitida via internet” e que utilizou uma “expressão popular”. No entanto, reconheceu que tratou-se de uma fala “integralmente inapropriada”.

Professor teve a declaração gravada - Foto: Reprodução/Facebook
Professor teve a declaração gravada - Foto: Reprodução/Facebook

"Não se pode deixar de reconhecer o machismo estrutural presente em nossa sociedade que, infelizmente, reproduz comportamentos os quais devem ser devidamente enfrentados de modo construtivo, para que todos possam aprender e progredir para uma sociedade mais respeitosa e igualitária. Reconhece-se este erro e será buscado o necessário aprendizado com essa situação", afirmou.