Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    47.665,13
    -3.019,18 (-5,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

De produtos para pets a aplicativo de ioga, mercado de bem-estar deve crescer 10% este ano no mundo

Henrique Gomes Batista e Cássia Almeida
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO E RIO - Em meio à pandemia, as pessoas buscam as mais diversas saídas para escapar da difícil realidade. As soluções vão de livros, ao mundo imaginário dos jogos, passando por consultas de astrologia, meditação e a adoção de um animal de estimação.

Em todo o mundo, esse mercado deverá movimentar US$ 1,5 trilhão, de acordo com a consultoria McKinsey, avanço de aproximadamente 10% sobre 2020. Para além da tecnologia, antigos recursos estão sendo largamente utilizados. Neste início de ano, a venda de livros no Brasil subiu 20%, enquanto o tempo dedicado a jogos triplicou.

Empresas estão atentas aos números em crescimento. E investidores já olham diretamente para start-ups que promovem bem-estar, mirando em aquisições. Na última semana, o Magazine Luiza, por exemplo, anunciou a compra do site Jovem Nerd, focado em RPG, no qual o jogador cria seu próprio personagem.

Avançam também as compras de itens para bichos de estimação e a adoçao de animais. Fernanda Oening, de 24 anos, escolhe um cachorro para adoção numa Loja da Petz. A empresa conta que vendeu mais ração e acessórios na pandemia. O salto em demanda se repete com professores de idiomas como dinamarquês e especialistas em ioga, meditação e astrologia.