Mercado fechará em 5 h 42 min
  • BOVESPA

    109.276,89
    +162,73 (+0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.064,69
    +256,13 (+0,57%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,74
    +2,03 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.640,60
    +7,20 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    20.161,38
    +975,12 (+5,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    460,93
    +1,79 (+0,39%)
     
  • S&P500

    3.686,93
    +31,89 (+0,87%)
     
  • DOW JONES

    29.444,87
    +184,06 (+0,63%)
     
  • FTSE

    7.011,74
    -9,21 (-0,13%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.426,50
    +110,25 (+0,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1577
    -0,0217 (-0,42%)
     

Produção de veículos atinge melhor marca em 19 meses

*ARQUIVO* SAO JOSE DOS PINHAIS, PR, Linha de produção da Audi em São José dos Pinhais, onde são montados os modelos Q3 e Q3 Sportback. (Foto: Eduardo Sodré/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO JOSE DOS PINHAIS, PR, Linha de produção da Audi em São José dos Pinhais, onde são montados os modelos Q3 e Q3 Sportback. (Foto: Eduardo Sodré/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A produção de veículos leves e pesados acompanhou o ritmo das vendas em agosto. Foram fabricadas 238 mil unidades, o melhor resultado dos últimos 19 meses, segundo a Anfavea (associação das montadoras).

Houve alta de 8,7% em relação a julho e de 43,9% na comparação com agosto de 2021. No acumulado do ano, há crescimento de 4,7%.

O resultado se deve à melhora no fornecimento de componentes, principalmente semicondutores.

"É a primeira vez que realizamos uma coletiva sem paralisação de fábricas", disse Márcio Lima Leite, presidente da Anfavea. Ele lembrou que, na apresentação dos dados de julho, havia quatro fábricas paradas.

A entidade ainda não fez projeções sobre o impacto das demissões promovidas pela Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo). Na terça (6), a montadora anunciou o corte de 3.600 trabalhadores em sua fábrica de caminhões.

"A Mercedes era uma das empresas mais verticalizadas do segmento, e agora optou por esse modelo de desverticalização", disse Leite.

Neste sábado (10), o executivo viaja para o Japão com representantes da indústria e do governo. O objetivo é atrair fornecedores para a produção de semicondutores no Brasil.

Já há um projeto para a fabricação desses componentes em Minas Gerais, que faz parte de um novo programa de reindustrialização promovido pelas montadoras. A empresa se chama Unitec e fica em Ribeirão das Neves.

O presidente da Anfavea, contudo, diz que a restrição ao crédito e as altas taxas de juros já influenciam o mercado. Leite afirmou que, no momento, as vendas à vista representam 70% dos negócios.

As vendas de veículos leves e pesados ultrapassaram as 200 mil unidades em agosto, algo que ainda não havia ocorrido em 2022.

Segundo dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), o último mês terminou com 208,6 mil emplacamentos. O número inclui carros de passeio, comerciais leves, ônibus e caminhões. É o melhor resultado desde dezembro de 2020.

Houve crescimento de 14,6% em relação a julho. Já na comparação com agosto de 2021, a alta é de 20,7%. No acumulado do ano, contudo, há queda de 8% na comparação com os oito primeiros meses do ano passado.

A entidade, que em janeiro acreditava em uma alta de 8,5% nas vendas, revisou suas projeções em julho. Agora é aguardado um crescimento de 1% nos emplacamentos em relação a 2021.

Para atingir essa meta, a Anfavea fez uma projeção de emplacamentos para os próximos meses. A expectativa é registrar números próximos a 200 mil unidades em setembro e outubro e acima desse número no último bimestre, com pico de 233 mil licenciamentos em dezembro.

"Nós temos algumas questões que podem impactar o segundo semestre, como Copa do Mundo e eleições. Algum Impacto terá, por isso mantemos um otimismo moderado", disse Leite.

As exportações registram bons resultados, apesar das perdas no mercado argentino. Influenciadas pela argentina. O acumulado do ano chega a 335 mil unidades, alta de 32,2% em relação aos oito primeiros meses de 2021.