Mercado fechará em 2 h 41 min
  • BOVESPA

    130.084,78
    -6,30 (-0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.707,22
    -200,96 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,95
    -0,17 (-0,24%)
     
  • OURO

    1.860,70
    +4,30 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    38.767,54
    -1.546,78 (-3,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    958,77
    -33,71 (-3,40%)
     
  • S&P500

    4.236,52
    -10,07 (-0,24%)
     
  • DOW JONES

    34.182,46
    -116,87 (-0,34%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,69 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    14.029,25
    -1,00 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0653
    -0,0526 (-0,86%)
     

Produção de vacina está totalmente parada e ritmo da imunização pode diminuir, diz governo de SP

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo João Doria (PSDB) afirmou nesta sexta-feira (14) que o processo de produção da Coronavac está totalmente parado devido a falta de insumos e que ritmo de imunização no estado de São Paulo pode diminuir.

Segundo o Instituto Butantan, há 10 mil litros dos insumos da Coronavac na China à espera de autorização —o material corresponde a cerca de 18 milhões de doses da vacina. O material permanece parado no país de origem, e o governo atribui o atraso na liberação a um entrave diplomático causado por críticas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à China.

Nesta sexta, o Instituto Butantan entregou o último lote da Coronavac, de cerca de 1 milhão de doses. Com isso, não há nova distribuição prevista até a chegada dos insumos, o que no momento, não tem previsão.

"Quando vamos parar? Nós esperamos de fato que o programa estadual não pare. Podemos diminuir o ritmo, mas nós até esse momento não paramos", disse a coodenadora estadual de imunização, Regiane de Paula.

Até o momento, há vacinas para os grupos anunciados até o próximo dia 21, que inclui pessoas com comorbidades e deficiência permanente entre 45 e 49 anos. "Temos vacinas para fazer essas entregas conforme foram comprometidas", disse Regiane.

A coordenadora de imunização também relatou frustrações sucessivas em relação à vacina da AstraZeneca/Oxford, que no Brasil está a cargo Fiocruz. "Só para vocês terem uma ideia, nessa semana nós tínhamos a expectativa de receber quase 1 milhão de doses da vacina da Fiocruz. Recebemos quase 40% a menos desse quantitativo", disse.

No entanto o governo paulista afirmou que a Fiocruz recebeu autorização para a chegada de insumos da vacina da AstraZeneca/Oxford, o que vê como um sinal positivo. "Com essa perspectiva de chegada de IFA, há a expectativa de rapidamente começar a produção", afirmou a coordenadora Regiane de Paula.

A Fiocruz informou que suspenderá por alguns dias a produção da vacina da AstraZeneca até a chegada de novos insumos.