Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.755,82
    -1.929,95 (-4,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Produção de smartphones despenca no segundo trimestre de 2021

·2 minuto de leitura

Segundo relatório divulgado pela TrendForce, o número de aparelhos celulares produzidos no planeta chegou a 307 milhões de unidades no segundo trimestre de 2021, uma queda próxima a 11% em comparação com o período inicial deste ano.

O principal motivo da queda é o aumento de casos de COVID-19 em vários países da Ásia que possuem fábricas, como Índia e Vietnã — em conjunto com a já presente crise dos chips, que impacta principalmente a indústria automotiva e de smartphones. Mesmo assim, os números ainda são 10% maiores em relação ao mesmo período de 2020, quando a pandemia começava a se expandir por todo o mundo.

Apple fica apenas na quarta colocação, em um período de transição entre os iPhones (Imagem: TrendForce)
Apple fica apenas na quarta colocação, em um período de transição entre os iPhones (Imagem: TrendForce)

A Samsung permanece como maior produtora de smartphones, com um total de 58,5 milhões de unidades no período analisado, um declínio de 23,5% em relação ao primeiro trimestre do ano. A marca sul-coreana teve que fechar temporariamente várias fábricas em locais de risco por conta de surtos do coronavírus. Apesar disso, a companhia possui 19% da fatia de mercado, e analistas indicam que a marca deve manter — ou até aumentar — a liderança em fabricação de celulares até o final de 2021.

Porém, a companhia acompanha a chegada rápida das chinesas, principalmente a Xiaomi e a Oppo. Elas têm 49,5 milhões de aparelhos fabricados cada, com 16,1% de participação no mercado — a pesquisa inclui celulares de marcas subsidiárias, como a Redmi, POCO, Realme e OnePlus. Assim como a Samsung, a produção aumentou muito em comparação com o mesmo período do ano passado, com um acréscimo de 80% para a Xiaomi e 70% para a Oppo. Mesmo assim, em relação ao início de 2021, elas sofreram um decréscimo de 2% e 6%, respectivamente.

Samsung permanece como maior produtora de smartphones no mundo (Imagem: Divulgação/Samsung)
Samsung permanece como maior produtora de smartphones no mundo (Imagem: Divulgação/Samsung)

Já a Apple aparece em quarto lugar, pois passa por um perído de transição entre duas gerações de smartphones. Com o lançamento da linha iPhone 13, o número de aparelhos produzidos pela marca americana deve voltar a subir, porém existe o risco de a fabricação ser afetada por surtos do coronavírus, principalmente na Malásia. Segundo o relatório, foram 42 milhões de aparelhos produzidos entre abril e junho de 2021, uma redução de 22,2% em comparação com os primeiros meses do ano.

Em quinto lugar fica a Vivo Mobile, com 34 miilhões de celulares fabricados. Nesse caso, expectativas apontam para um decréscimo na fatia de mercado da marca chinesa, causado principalmente pelo aumento de vendas da Samsung e Apple, característico do segundo semestre. Além disso, a Vivo também passa por problemas relacionados à COVID nas suas fábricas na Índia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos