Mercado abrirá em 2 h 47 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,16
    +1,59 (+1,45%)
     
  • OURO

    1.826,20
    +1,40 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    21.054,52
    -366,58 (-1,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    459,67
    -2,12 (-0,46%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.338,74
    +80,42 (+1,11%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.088,75
    +48,25 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5448
    +0,0007 (+0,01%)
     

Produção de refinarias na China em maio registra maior queda anual em mais de uma década

Refinaria de petróleo no condado de Ju, China

Por Chen Aizhu

CINGAPURA (Reuters) - A produção das refinarias da China em maio caiu 10,9% em relação ao mesmo mês do ano anterior, na queda anual mais acentuada em pelo menos uma década, já que os rígidos lockdowns contra a Covid-19 atingiram a demanda por combustível, mostraram dados divulgados nesta quarta-feira.

O processamento de petróleo no mês passado foi de 53,92 milhões de toneladas, ou cerca de 12,7 milhões de barris por dia (bpd), segundo dados Departamento Nacional de Estatísticas do país.

A produção aumentou em relação aos 12,61 milhões de bpd em abril, o menor nível em dois anos, mas ficou 1,55 milhão de bpd abaixo do nível do ano anterior, segundo registros da Reuters de dados oficiais.

Os volumes de processamento para o período de janeiro a maio caíram 5,3% no ano, para 277,16 milhões de toneladas, ou 13,4 milhões de bpd.

Algumas refinarias independentes aumentaram a produção marginalmente no mês passado após fortes cortes entre fevereiro e abril, e uma série de grandes refinarias estatais também retornaram à atividade após revisões. Mas as margens permaneceram apertadas com a demanda estagnada.

"Nossas margens de refino foram negativas e as operações só começaram a se recuperar ligeiramente a partir do final de maio, com alguns sinais iniciais de flexibilização dos lockdowns", disse um gerente comercial de uma refinaria independente.

A demanda da China por produtos petrolíferos refinados vem caindo desde março por causa de lockdowns rígidos para conter a propagação da variante Ômicron sob uma política de zero Covid. A gasolina e o combustível de aviação são os mais atingidos.

Os dados do departamento chinês de estatísticas também mostraram um aumento de 3,6% na produção de petróleo bruto, para 17,57 milhões de toneladas no mês passado, ou 4,14 milhões de bpd. A produção nos primeiros cinco meses aumentou 4,1% em comparação com o ano anterior, para 85,69 milhões de toneladas, no maior crescimento da última década.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos