Mercado fechará em 1 h 28 min
  • BOVESPA

    112.397,49
    +507,61 (+0,45%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.317,76
    +174,76 (+0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    115,23
    +1,14 (+1,00%)
     
  • OURO

    1.856,30
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    28.345,39
    -1.178,82 (-3,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    615,22
    -14,28 (-2,27%)
     
  • S&P500

    4.130,47
    +72,63 (+1,79%)
     
  • DOW JONES

    32.990,75
    +353,56 (+1,08%)
     
  • FTSE

    7.585,46
    +20,54 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    20.697,36
    +581,16 (+2,89%)
     
  • NIKKEI

    26.781,68
    +176,84 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.600,75
    +321,50 (+2,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0842
    -0,0338 (-0,66%)
     

Produção industrial tem leve avanço de 0,3% em março

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 08-02-2019: Still Mercado. Calculadora cinentífica. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 08-02-2019: Still Mercado. Calculadora cinentífica. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A produção industrial brasileira teve variação positiva de 0,3% em março, na comparação com fevereiro, informou nesta terça-feira (3) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O resultado veio próximo das projeções do mercado financeiro. Analistas consultados pela agência Bloomberg esperavam elevação de 0,2% na mediana.

Mesmo com o desempenho positivo em março, a produção industrial segue abaixo do patamar pré-pandemia. Está em nível 2,1% inferior ao de fevereiro de 2020, antes da crise sanitária.

O IBGE também informou que o indicador teve queda de 4,5% no acumulado dos três primeiros meses do ano. Em 12 meses até março, houve alta de 1,8%, mas a intensidade vem sendo reduzida desde agosto de 2021 (7,2%).

A indústria ainda tenta se recuperar dos impactos da pandemia. Ao longo da crise sanitária, o setor foi afetado por uma combinação de fatores que envolve escassez de insumos e disparada de preços de matérias-primas.

De acordo com André Macedo, gerente da pesquisa do IBGE, as plantas industriais ainda sentem o aumento dos custos de produção e a escassez de algumas matérias-primas.

"Além disso, a inflação vem diminuindo a renda disponível, e os juros sobem e encarecem o crédito. O mercado do trabalho, que apresenta alguma melhora, ainda mostra índices como uma massa de rendimentos que não avança", lembra Macedo.

A partir de fevereiro deste ano, o setor registrou uma preocupação a mais com os efeitos da Guerra da Ucrânia.

O conflito no Leste Europeu fez as cotações de commodities agrícolas e do petróleo dispararem em um primeiro momento no mercado internacional.

Além de pressionar preços, a guerra tende a atrasar a normalização do abastecimento de insumos, segundo analistas.

Os olhares internacionais também estão voltados neste momento para a China, que registrou novos surtos de Covid-19.

O quadro sanitário gerou fortes restrições à circulação de pessoas e mercadorias no país asiático, o que também traz riscos à reorganização das cadeias produtivas globais.

Frente a março de 2021, a produção industrial brasileira teve queda de 2,1%, oitava taxa negativa consecutiva nessa comparação, informou o IBGE. Analistas do mercado esperavam retração de 2,9%, conforme a Bloomberg.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos