Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,64
    +0,36 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.844,80
    +14,60 (+0,80%)
     
  • BTC-USD

    19.453,90
    +505,00 (+2,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,41
    +8,00 (+2,14%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.488,25
    +34,00 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2371
    -0,0827 (-1,31%)
     

Produção global de vinho sofre redução por crise do coronavírus

·1 minuto de leitura

PARIS (Reuters) - A produção global de vinho continuará abaixo da média de cinco anos em 2020, já que foi reduzida pelos volumes baixos da América do Sul e pelo limites de produção da União Europeia, depois que a crise do coronavírus fez as vendas caírem, disse um órgão internacional do setor nesta terça-feira.

Em estimativas iniciais sobre a produção mundial de vinho deste ano, a Organização Internacional de Vinícolas e Vinhos (OIV) calculou algo entre 253,9 milhões e 262,2 milhões de hectolitros (mhl), com uma estimativa média de 258 mhl.

Trata-se do segundo ano consecutivo em que a produção global de vinho fica abaixo da média depois de alcançar altas quase recordes em 2018, informou a organização sediada em Paris.

"Isto não deve necessariamente ser considerado uma má notícia para o setor do vinho, dado o contexto atual, no qual tensões geopolíticas, mudança climática e a pandemia de Covid-19 estão gerando um grau alto de volatilidade e incerteza no mercado global de vinho", disse a OIV em uma apresentação.

Na UE, os vinhedos se beneficiaram das condições climáticas boas, mas a produção continuou abaixo da média porque produtores e governos a limitaram para se contraporem ao impacto negativo da pandemia, disse a OIV.

No Hemisfério Sul, estima-se que a produção total de 2020 recuará 8% na comparação com 2019 e ficará em 49 mhl, principalmente por causa das quedas acentuadas na Argentina (-17% em relação a 2019), Chile (-13%) e Austrália (-11%), informou a OIV.

(Por Sybille de La Hamaide)