Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.590,34
    -3.205,39 (-5,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Produção fabril no Japão tem 3ª queda mensal seguida com problemas de oferta

·1 min de leitura

Por Daniel Leussink e Kantaro Komiya

TÓQUIO (Reuters) - A produção nas fábricas do Japão encolheu pelo terceiro mês consecutivo em setembro, quando o setor automotivo foi atingido por uma persistente escassez de oferta global, aumentando o risco de uma contração econômica no terceiro trimestre e colocando a recuperação em dúvida.

As interrupções na produção na Ásia e a desaceleração do crescimento na China turvaram as perspectivas para a terceira maior economia do mundo, que tem dependido fortemente das exportações para impulsionar o crescimento, uma vez que a pandemia de Covid-19 prejudicou a demanda interna.

"O risco é de que o Produto Interno Bruto do terceiro trimestre se torne negativo", disse Takeshi Minami, economista-chefe do Norinchukin Research Institute.

"Os embarques de bens de capital diminuíram. Isso sugere que o investimento empresarial não tem crescido."

A produção das fábricas caiu 5,4% em setembro em relação ao mês anterior, mostraram dados oficiais nesta sexta-feira, prejudicada pela queda na produção de automóveis e também de máquinas de uso geral.

Foi a maior baixa mensal desde a de 6,5% em maio. O número também veio mais fraco do que a previsão de perda de 3,2% em uma pesquisa da Reuters com economistas.

Com isso, a produção encolheu pelo terceiro mês consecutivo, após queda de 3,6% em agosto e de 1,5% em julho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos