Mercado fechará em 6 h 46 min

Anfavea e governo vão ao Japão para viabilizar fábrica de semicondutores no país

SÃO PAULO (Reuters) -Executivos da associação de montadoras, a Anfavea, irão junto com representantes do governo federal no sábado ao Japão, onde se encontrarão com empresários para negociações sobre a instalação de uma potencial unidade de produção de chips no Brasil, disse o presidente da entidade nesta sexta-feira.

O setor de automóveis sofre há meses com falta de peças e componentes eletrônicos em todo o mundo, incluindo o Brasil, o que inflou a discussão sobre a viabilidade de se produzir semicondutores internamente.

Questionado sobre se a melhora parcial no fornecimento de chips poderia desacelerar as negociações para fabricação interna, Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea, disse a jornalistas que está embarcando no sábado para o Japão com representantes do governo para encontrar "grandes fabricantes globais". Ele não detalhou os nomes das empresas com qual se reunirá.

Leite disse que existem fábricas no Brasil prontas, já licenciadas, de iniciativas anteriores, que não foram para frente. Entre elas, ele destacou especificamente uma unidade da em Ribeirão das Neves (MG), da Unitec Semicondutores, empresa na qual o BNDES tem participação.

"A visita ao Japão prevê algumas reuniões com empresas que possam se interessar por essa fábrica ou outras fábricas e investimentos", disse ele, acrescentando que todas as alternativas estão na mesa, como parcerias e joint ventures.

"São instalações muito boas (em Ribeirão das Neves)... a parte de infraestrutura permanece intacta". A unidade nunca foi utilizada, segundo Leite.

Há ainda, observou o executivo, um compromisso do governo federal de soltar a regulamentação de semicondutores nas próximas semanas.

MERCADO EM AGOSTO

A produção de veículos no Brasil subiu 8,7% em agosto ante o mês anterior, para 238 mil unidades, informou a Anfavea nesta sexta-feira.

Na comparação com agosto do ano passado, a produção saltou 43,9%, enquanto o desempenho acumulado no ano passou ao terreno positivo, com alta de 4,7% ante os primeiros oito meses de 2021.

"Pode ser que em um mês ou outro tenha oscilação, mas, de forma geral, há uma tendência dos números (de produção) mês a mês superarem os meses anteriores", disse Leite.

As vendas cresceram 14,6% na comparação mensal e avançaram 20,7% ante agosto do ano passado, para 208,6 mil unidades. No ano, os licenciamentos apuram queda de 8% na comparação com o mesmo período de 2021, a 1,3 milhão de veículos, segundo os dados da Anfavea.

As exportações seguiram em ritmo forte, subindo 58,9% em agosto sobre um ano antes, para 46,8 mil veículos. No ano, as vendas externas mostraram crescimento de 32,2%, para 335 mil unidades.

O setor terminou agosto com 164,8 mil veículos em estoques distribuídos entre pátios de montadoras e concessionárias. O volume é equivalente a 24 dias de vendas. Em julho, o estoque somava 150 mil unidades. A alta, segundo Leite, deve-se ao período de lançamentos de novos modelos.

(Por Andre Romani; edição Paula Arend Laier)