Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.248,20
    +1.884,18 (+3,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Produção e exportação de café colombiano aumentam em fevereiro

·1 minuto de leitura
Café recém-colhido em Pueblorrico, Colômbia

BOGOTÁ (Reuters) - A produção de café na Colômbia, o maior produtor mundial de arábica lavado, aumentou em fevereiro 11% com relação ao ano anterior, para 1,1 milhão de sacas de 60 quilos, informou a Federação Nacional dos Cafeicultores nesta quinta-feira.

As exportações de café do país aumentaram 18%, para 1,27 milhão de sacas no segundo mês de 2021, revelou um relatório do sindicato dos cafeicultores.

Em fevereiro de 2020, a safra foi de 1 milhão de sacas, enquanto as exportações foram de 1,07 milhão de sacas.

No acumulado do primeiro bimestre, a produção de café colombiana subiu 7%, a 2,18 milhões de sacas, enquanto as exportações avançaram 10%, a 2,34 milhões de sacas.

No entanto, nos últimos 12 meses a safra acumulou queda de 3%, para pouco mais de 14 milhões de sacas, enquanto as exportações caíram 5%, para 12,7 milhões de sacas.

O país sul-americano possui 855.000 hectares cultivados com café e cerca de 500.000 famílias dependem dessa atividade.

A Colômbia, terceiro maior produtor mundial de café depois do Brasil e do Vietnã, colheu 13,9 milhões de sacas em 2020, enquanto suas exportações totalizaram 12,5 milhões de sacas.

O país sul-americano, conhecido por seus cafés suaves e de alta qualidade, tem um parque para produzir cerca de 14 milhões de sacas anuais, segundo a federação, que projeta safra de pouco mais de 6 milhões de sacas para o primeiro semestre.

Entre 2010 e 2019, o país sul-americano renovou mais de 851 mil hectares, quase todas as lavouras, o que permitiu aumentar a produtividade.

(Por Luis Jaime Acosta)