Mercado fechará em 25 mins

Produção de celulares tem queda recorde durante segundo trimestre de 2020

Felipe Autran
·3 minutos de leitura

Como esperado, os efeitos da pandemia de COVID-19 na indústria de smartphones foram sentidos com mais força durante o segundo trimestre de 2020, período durante o qual muitos países passaram por picos da doença. Esses acontecimentos levaram a uma queda recorde na produção de celulares.

De acordo com um relatório da consultoria TrendForce, 268 milhões de unidades de smartphones foram produzidas durante esse trimestre, uma queda de 16,7% em comparação com o mesmo período do ano passado. Foi a maior queda trimestral na comparação ano a ano da história dessa indústria.

Uma das empresas mais afetadas foi a Samsung, já que EUA, Europa e Índia são mercados importantes para a companhia e foram mais afetados exatamente durante esse período. Ainda assim, a fabricante manteve a dianteira no ranking de maiores produtoras de celulares, seguida por Huawei e Apple.

Ao menos este é o cenário revelado pela TrendForce, já que a Huawei aparece na ponta do ranking segundo avaliação da Canalys. De qualquer modo, a gigante chinesa continua sofrendo com as restrições impostas pelo governo dos EUA, mas o mercado local parece ser suficiente para segurar a posição, pelo menos por enquanto.

Ações de Trump ainda podem afetar a Apple

Imagem: Divulgação/Apple
Imagem: Divulgação/Apple

Apesar da queda geral na indústria, a Apple chegou a aumentar sua produção em 8% quando comparado com o primeiro trimestre do ano. Segundo a TrendForce, isso se deve especialmente ao sucesso do iPhone SE e do iPhone 11. A expectativa da consultoria é de que ambos os modelos continuem vendendo bem ao longo dos próximos meses, enquanto a produção em massa dos novos iPhone 12 tem início.

No entanto, a TrendForce não descarta a possibilidade de as restrições impostas pelo governo de Donald Trump afetarem a Apple negativamente. Isso pode acontecer caso a impossibilidade de manter negócios com empresas chinesas acabe obrigado a Apple a remover aplicativos e serviços chineses dos seus aparelhos, o que certamente resultaria em um impacto nas vendas de iPhone na China.

2021 deve ficar marcado por crescimento do 5G

Levando em consideração os novos dados, a consultoria acredita que o ano de 2021 será de retomada para a indústria, recuperando as perdas de 2020. Além disso, a tendência é de que o próximo ano seja marcado pelo crescimento do 5G em vários mercados, algo que deve ser beneficiado pela chegada de mais modelos intermediários equipados com a nova tecnologia. Essas previsões, no entanto, levam em consideração que a pandemia estará sob controle até lá.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: