Mercado fechará em 2 h 58 min
  • BOVESPA

    114.616,05
    -1.051,73 (-0,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.396,43
    +245,05 (+0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,44
    +0,22 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.775,90
    -22,00 (-1,22%)
     
  • BTC-USD

    50.770,64
    +989,02 (+1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.016,05
    +21,39 (+2,15%)
     
  • S&P500

    3.864,78
    -60,65 (-1,55%)
     
  • DOW JONES

    31.621,96
    -339,90 (-1,06%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    13.007,50
    -294,50 (-2,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7209
    +0,1504 (+2,29%)
     

Produção de café do Peru ensaia retomada após perdas em pandemia

Marvin G. Perez
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A produção de café do Peru neste ano pode aumentar até 10% depois que chuvas favoreceram a florada, segundo uma associação do setor.

“Há tendência de maior produção em locais a 1.500 metros acima do nível do mar”, incluindo áreas nos arredores de Cajamarca e Cuzco e partes da região do Amazonas, disse Lorenzo Castillo, gerente-geral do Conselho Nacional do Café, em entrevista por telefone, em Lima. “A florada foi boa, e as chuvas encheram os grãos após um clima muito bom. A qualidade também vai ser boa.”

A colheita foi prejudicada na temporada passada em meio a restrições logísticas relacionadas à pandemia de coronavírus, principalmente em março e abril, o que causou algumas perdas, disse Castillo.

Em 2020, a produção caiu para 3,9 milhões de sacas em relação a 4 milhões um ano antes. Um aumento de 10% em 2021 colocaria a produção em 4,29 milhões de sacas. Plantações em maiores altitudes respondem por mais de 50% da safra.

“Ainda há preocupação com a Covid, mas com a experiência do ano passado e os protocolos estabelecidos, achamos que estamos prontos para outra onda”, afirmou. “A única coisa que preocupa algumas pessoas é se o governo impuser limitações de transporte novamente.”

A demanda doméstica continua melhorando depois do impacto da pandemia no consumo, disse Castillo. As vendas online e entrega em domicílio ajudaram a compensar parcialmente a queda das vendas de food service em Lima e nas principais cidades, disse.

Enquanto os volumes de exportação caíram 2,7% no ano passado, para 3,6 milhões de sacas, a receita aumentou 3,6%, para US$ 658 milhões, com o aumento dos preços médios no mercado à vista, superando os futuros de referência.

Em 2020, o preço médio do café no Peru subiu para US$ 1,389 por libra-peso em relação a US$ 1,29 um ano antes. Os futuros de grãos arábica em Nova York foram negociados, em média, perto de US$ 1,12 no ano passado. Uma saca pesa 60 kg.

O Brasil é o maior produtor mundial de arábica, seguido pela Colômbia, Etiópia, Honduras e Peru. Os contratos futuros caíram 1,1% em 2020.

Atrás do México, o Peru é o maior fornecedor mundial de café orgânico, com 100 mil hectares e exportações de 950 mil sacas, disse Castillo.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.