Mercado abrirá em 1 h 10 min
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,00
    -0,35 (-0,57%)
     
  • OURO

    1.787,10
    -6,00 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    54.820,88
    -220,16 (-0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.270,94
    +7,98 (+0,63%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.900,77
    +5,48 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.896,50
    -22,75 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6482
    -0,0538 (-0,80%)
     

Produção de aço no Brasil cresce 3,8% em fevereiro, diz Aço Brasil

Aluisio Alves
·1 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A produção brasileira de aço bruto em fevereiro cresceu 3,8% em relação à do mesmo mês de 2020, para 2,8 milhões de toneladas, informou nesta quarta-feira a entidade que representa as usinas, Aço Brasil.

Já as vendas internas no mês passado avançaram 20,9% ano a ano, para 1,9 milhão de toneladas.

As exportações de 657 mil toneladas do setor em fevereiro, representaram queda de 28,5% sobre um ano antes. Enquanto isso, as importações foram de 334 mil toneladas, salto de 123,5%.

Os números vêm na esteira de fortes altas dos preços do aço no Brasil e no mundo.

A produção brasileira de aço bruto foi de 5,8 milhões de toneladas no acumulado de janeiro e fevereiro deste ano, o que significa aumento de 7,3% em relação ao mesmo período de 2020.

As vendas internas de laminados no bimestre atingiram 3,7 milhões de toneladas, 24% acima do que no mesmo período de 2020. O consumo aparente, de 4,3 milhões de toneladas, representou um aumento de 25% em relação a janeiro e fevereiro de 2020.

No entanto, a entidade afirmou que a evolução dos preços do aço no Brasil acompanhou a tendência mundial, o que "demonstra que não houve qualquer movimento especulativo por parte das usinas brasileiras".

Apesar da situação de agravamento da crise gerada pela pandemia no país, o presidente executivo do Instituto Aço Brasil, Marco Polo de Mello Lopes, afirmou em comunicado que a perspectiva da indústria brasileira do aço para 2021 é otimista, diante da previsão de maior consumo de aço na construção civil, obras de infraestrutura, e de maior participação da indústria nacional no setor de óleo e gás e energia renovável.