Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.503,32
    -289,08 (-0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.017,75
    -138,50 (-0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Produção de aço bruto no Brasil dispara em abril

·2 minuto de leitura
.

SÃO PAULO (Reuters) - A produção brasileira de aço bruto em abril somou 3,1 milhões de toneladas, alta de 59,3% ano a ano e maior volume desde outubro de 2018, impulsionado por uma forte base de comparação com o ano passado, quando o parque siderúrgico nacional foi desativado em meio às incertezas trazidas pela chegada da pandemia ao país.

A produção de aços longos, impulsionada ainda pela construção civil, mais que dobrou, saindo de 445 mil toneladas para 923 mil. A de planos, puxada ainda por reestocagem e demanda ainda forte em setores como máquinas e equipamentos e veículos, cresceu 61,3%, para 1,3 milhão de toneladas.

"A maior demanda do mercado interno reflete a retomada dos setores consumidores, mas também a formação de estoques defensivos de alguns segmentos em relação à volatilidade do mercado, ocasionado pelo boom no preço das commodities", afirmou em comunicado o presidente do Instituto Aço Brasil, responsável pelos dados, Marco Polo de Mello Lopes.

No acumulado do ano até o fim de abril, as siderúrgicas do país produziram 15,9% mais ante mesmo período de 2020, ou 11,8 milhões de toneladas.

As vendas de aço em abril somaram 1,9 milhão de toneladas, quase o dobro do registrado um ano antes. A venda de longos subiu 72,3% e a de planos avançou 118%, a 1,1 milhão de toneladas. No acumulado de janeiro a abril, as vendas saltaram 40,5%, para 7,9 milhões de toneladas.

A retomada na demanda nacional tem motivado reajustes nos preços da liga no mercado interno e anúncios de investimentos no setor. No início de junho, por exemplo, a Usiminas vai reativar o alto-forno 2 da usina de Ipatinga (MG). O equipamento estava parado desde abril do ano passado.

As importações de aço em abril também dispararam, avançando 90,8% sobre um ano antes, para 355,65 mil toneladas. Nos quatro primeiros meses de 2021, as compras de material produzido no exterior atingiram 1,4 milhão de toneladas, quase o dobro do importado no primeiro quadrimestre de 2020.

Já as vendas externas caíram 5,5% no mês passado na comparação anual, para 831,7 mil toneladas, acumulando no ano baixa de quase 14%, a 3,5 milhões de toneladas, segundo os dados do Aço Brasil.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos