Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.399,91
    +2.506,91 (+2,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.895,63
    +1.116,73 (+2,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,18
    -0,37 (-0,83%)
     
  • OURO

    1.816,80
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    18.697,40
    +89,37 (+0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    371,42
    -8,44 (-2,22%)
     
  • S&P500

    3.662,45
    +40,82 (+1,13%)
     
  • DOW JONES

    29.823,92
    +185,32 (+0,63%)
     
  • FTSE

    6.384,73
    +118,54 (+1,89%)
     
  • HANG SENG

    26.567,68
    +226,18 (+0,86%)
     
  • NIKKEI

    26.780,57
    -6,97 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.441,50
    -10,75 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3052
    -0,0018 (-0,03%)
     

Produção de açúcar deve alcançar 36 mi t no CS na safra 2021/22, diz Datagro

·1 minuto de leitura
Usina de processamento de cana-de-açúcar em Valparaíso (SP)
Usina de processamento de cana-de-açúcar em Valparaíso (SP)

SÃO PAULO (Reuters) - A produção de açúcar na região centro-sul do Brasil, principal polo produtor da commodity no país, deve atingir 36 milhões de toneladas na safra 2021/22, projetou a consultoria Datagro nesta terça-feira, em sua primeira estimativa para a próxima temporada.

O resultado representa queda de 5,3% em relação ao ciclo anterior, embora a safra siga mais açucareira, com 46,54% da matéria-prima destinada à fabricação do adoçante.

Segundo o presidente da consultoria, Plínio Nastari, a moagem de cana deve ter uma redução de 3,6% em 2021/22, para 575 milhões de toneladas.

"O produtor deve atrasar o reinício da moagem, o que deve fazer com que a entressafra seja mais longa do que o habitual", disse Nastari quanto à influência da seca sobre a próxima safra.

Segundo ele, a moagem prevista para março deve ficar entre 6,5 milhões e 7 milhões de toneladas, volume considerado pequeno, enquanto diversos produtores tendem a aguardar de 15 a 25 dias para iniciar o processamento da cana 2021/22, período para que as lavouras se recuperem do prolongamento da recente seca.

"Todo esse atraso no desenvolvimento fisiológico deve fazer com que o produtor processe cana com idade menor. Ele provavelmente terá uma cana com rendimento menor... Estamos em pleno La Niña", acrescentou.

Também em uma perspectiva negativa, a produção total de etanol (incluindo o biocombustível de milho) deve alcançar 28,85 bilhões de litros, queda de 2,4% no comparativo anual.

Somente o etanol de cana deve atingir 25,5 bilhões de litros, recuo de 5,8%.

(Por Nayara Figueiredo e Marcelo Teixeira)