Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,64
    +0,36 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.844,80
    +3,70 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.473,27
    +524,37 (+2,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,19
    +7,79 (+2,08%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.488,25
    +34,00 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2371
    -0,0827 (-1,31%)
     

Procura outro para pagar a sua vacina, diz Bolsonaro a Doria

Por Ricardo Brito
·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - Em mais um embate com o governador de São Paulo, João Doria, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que ninguém vai ser obrigado a tomar "na marra" a vacina contra Covid-19 que está sendo produzida pelo governo paulista, e também destacou que o Executivo Federal não vai custear a fabricação do imunizante.

"Ninguém vai tomar a sua vacina na marra não, tá ok? Procura outro. Eu, que sou governo, o dinheiro não é meu, é do povo, não vou comprar a sua vacina também não, tá ok? Procura outro para pagar a sua vacina aí", disse Bolsonaro, em transmissão pela redes sociais.

Recentemente, o presidente vetou um acordo por meio do qual o Ministério da Saúde iria comprar 46 milhões de doses da vacina chinesa da Sinovac que será produzida no país pelo Instituto Butantan, ligado ao governo paulista, a fim de ser incluída no Programa Nacional de Imunização.

Bolsonaro chegou a duvidar da eficácia do imunizante. O caso foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF), após a Rede Sustentabilidade pedir uma liminar para obrigar o governo federal a comprar a vacina produzida pelo Butantan.

A vacina da Sinovac está entre as mais promissoras na fase de testes, aparecendo à frente da aposta do governo federal, a vacina da Oxford-AstraZeneca.

Na transmissão pelas redes sociais, o presidente questionou se a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tomaria uma vacina caso o governo do Estado dela ou uma decisão judicial a obrigasse a tomar o imunizante. Ao lado dele, a ministra disse que achava que não tomaria.