Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,13
    +0,25 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.863,50
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    40.298,75
    +1.335,40 (+3,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,33
    +39,48 (+4,08%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.485,14
    -356,99 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    29.353,76
    +191,96 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.135,25
    +10,50 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1474
    +0,0159 (+0,26%)
     

Procon-RJ lança novo manual contra fraudes virtuais; veja como se proteger

·3 minuto de leitura

O aumento de fraudes e golpes contra os consumidores que fazem compras pelas internet levou o Procon Estadual do Rio de Janeiro a preparar um manual de prevenção e combate às fraudes virtuais. O material contém orientações sobre como fazer compras seguras pela internet e dicas para não cair em fraudes virtuais, além de alertar sobre os novos golpes praticados, como o que utiliza o Pix, o sequestro do WhatsApp e os praticados em plataformas de vendas. A entidade também listou sites não recomendados a serem evitados.

— O manual será uma ferramenta que o internauta poderá sempre consultar antes de efetuar alguma compra pela internet ou outro tipo de operação virtual — observa o presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho.

Além do manual contra fraudes virtuais, a autarquia preparou uma lista com 230 sites não recomendados, que será constantemente atualizada. Para um site ser incluído na lista, os servidores do Procon-RJ analisam diversos fatores.

Se a empresa,por exemplo, entrega os produtos e serviços comprados e se responde as reclamações do consumidor e as notificações enviadas pela autarquia; se o estabelecimento possui cadastro ativo na Receita Federal e está apto a emitir nota fiscal; se o site disponibiliza informações de contato e dados da empresa e como se relaciona com os clientes que efetuam reclamações. A lista completa pode ser acessada pelo link: https://bit.ly/proconrj-sites-nao-recomendados.

Cuidados para não cair em golpes

Ao passar informações pessoais pela internet ou telefone, só informe para quem você realmente conhece. Se alguma empresa ou instituição financeira entrar em contato pedindo seus dados, desconfie e entre em contato com o SAC para confirmar se a ligação realmente era da empresa.

Ao efetuar cadastro do Pix ou auxílio emergencial por exemplo, só utilize os sites ou aplicativos oficiais. Muitas fraudes são cometidas por meio de e-mail e links enviados, por isso muito cuidado. Atenção ao passar códigos recebidos por SMS, pois é assim que golpistas clonam o WhatsApp.

Confira dicas efetuar compras de forma on-line

Para evitar ser vítimas de fraudes nas compras, o consumidor deve observar um passo a passo para verificar se a operação é segura:

- Observar sempre se o site é seguro

- Desconfiar de ofertas muito vantajosas

- Atenção ao realizar compras por aplicativos de mensagens ou redes sociais

- Confira sempre se o endereço no navegador é o oficial da empresa e se no site existem informações de contato do fornecedor.

- Se for comprar em uma loja virtual desconhecida, verifique antes o que os consumidores estão comentando sobre ela, por exemplo nas redes sociais.

Segurança

Segundo a Serasa Experian, uma das formas mais simples para verificar a segurança do endereço eletrônico é pelo certificado SSL (Secure Sockets Layers), que funciona como uma camada de proteção em sites de diferentes segmentos. Identificado por um cadeado ao lado do endereço URL no navegador e pela letra S no endereço eletrônico – https:// no lugar de http:// –, o certificado criptografa as informações das transações que são feitas nas páginas, tornando impossível o acesso aos dados no caso de uma tentativa de fraude.

Os sites que contam com o certificado SSL reduzem as brechas para que golpistas consigam obter informações trocadas entre consumidor e empresa, o chamado phising. Podem ser roubados dados como nome, endereço e CPF, que são usados comumente para negócios sob falsidade ideológica ou obtenção de crédito em nome de outras pessoas. Além de obter o certificado digital, as empresas podem ter outras ações para aumentar as vendas e manter a segurança digital.

3. Em caso de ofertas de lojas desconhecidas, faça uma pesquisa em sites dedicados à avaliação e reputação de lojas virtuais;

4. Atenção com links e arquivos compartilhados em grupos de mensagens de redes sociais. Eles podem ser maliciosos e direcionar para páginas não seguras, que contaminem os dispositivos com vírus para funcionarem sem que o usuário perceba;

5. Mantenha atualizado o antivírus do seu computador, diminuindo os riscos de ter seus dados pessoais roubados por arquivos espiões.