Mercado fechará em 8 mins
  • BOVESPA

    111.932,92
    +43,04 (+0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.416,54
    +273,54 (+0,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    115,09
    +1,00 (+0,88%)
     
  • OURO

    1.857,20
    +3,30 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    28.616,11
    -873,55 (-2,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    619,55
    -9,95 (-1,58%)
     
  • S&P500

    4.144,89
    +87,05 (+2,15%)
     
  • DOW JONES

    33.116,07
    +478,88 (+1,47%)
     
  • FTSE

    7.585,46
    +20,54 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    20.697,36
    +581,16 (+2,89%)
     
  • NIKKEI

    26.781,68
    +176,84 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.631,75
    +352,50 (+2,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0830
    -0,0350 (-0,68%)
     

Processo por lentidão de iPhone 4s com iOS 9 pode ter acordo de 15 dólares

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Um processo judicial envolvendo a Apple pode ser encerrado por meio de um pagamento bastante “amigável” para a empresa de Cupertino. A ação foi movida em 2015, quando o iPhone 4s começou a apresentar lentidões e instabilidades por conta da atualização para o iOS 9.

Segundo os acusadores, a Apple anunciou de forma errônea que o modelo era compatível com a versão do sistema operacional, e por isso os clientes a baixaram sem saber dos problemas que ocorreriam na sequência.

Relatos da época afirmaram que os celulares começaram a apresentar delays no touchscreen e na abertura de aplicativos, além de outros problemas de compatibilidade.

A ação ainda indica que a Apple tinha total consciência da situação, pois fez testes internos com o iOS 9. Portanto, o caso seria classificado como uma obsolescência programada, para que os consumidores fossem forçados a comprar iPhones mais recentes.

iPhone 4s apresentou problemas com o iOS 9 (Imagem: Canaltech)
iPhone 4s apresentou problemas com o iOS 9 (Imagem: Canaltech)

Tal acusação foi negada pela empresa, e por isso o processo já acumulou mais de 539 mil páginas em cerca de 48 mil documentos. Entretanto, agora os próprios acusadores pedem pelo fim da ação.

De acordo com os últimos requerimentos, cada parte entendeu os pontos mais fortes e fracos de suas argumentações, e por isso a sequência do processo representaria um desperdício de tempo e dinheiro para todos os envolvidos.

Desta forma, uma indenização inicial que ficaria entre 5 e 15 milhões de dólares (cerca de R$ 25,6 a 77 milhões de reais, em conversão direta) passaria para apenas 15 dólares (~R$ 77) por aparelho danificado. O valor seria pago para cada uma das mais de 100 pessoas que fizeram reclamações válidas no processo.

Mesmo com o valor final bem mais baixo do que o pretendido inicialmente, a parte acusadora ainda afirma que o resultado será favorável. Segundo ela, “os danos reais medidos pelo preço do mercado secundário não ultrapassaram os 15 dólares por dispositivo”.

Não é a primeira vez que a Apple enfrenta um processo por razão semelhante. Em 2011, reclamantes afirmaram que a atualização para o iOS 4 transformou o iPhone 3G em um “iTijolo”, completamente sem funcionamento. O caso foi arquivado um ano depois.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos