Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.629,65
    -414,89 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Problema para muitos, oportunidade para poucos.

·2 minuto de leitura

O Governo brasileiro vem elevando a tarifa de energia elétrica através da aplicação da bandeira vermelha, sistema que foi implantado a fim de incentivar o consumidor a economizar energia quando as condições hidrológicas estão desfavoráveis, ou seja, quando está chovendo pouco e os reservatórios de água das usinas hidrelétricas começam a esvaziar. Por esse motivo, na atual situação que o país se encontra a bandeira que estava em vigor é a vermelha nível 2, que acrescia R$9,49 para cada 100 kW/h consumidos, que até então era a bandeira mais cara.

Contudo, devido a crise hídrica e as condições dos reservatórios, foi criada uma nova bandeira, chamada “escassez hídrica”, que acrescentará o valor de R$14,20 para cada 100 kW/h consumidos. O objetivo desse aumento é financiar o uso das termelétricas, que possuem um custo operacional mais caro, e também buscar uma redução no consumo de energia por parte das residências, tentando com isso evitar a necessidade de programas de racionalização.

Sobe no fato, cai no ato, ou o contrário.

Como sempre, os investidores buscam precificar o que pode acontecer, e o temor da racionalização de energia pode estar fazendo com que as indústrias do setor percam valor no mercado. É previsível que o uso de termelétricas encarece a geração de energia, reduzindo assim o lucro das empresas geradoras. Mas caso realmente fosse necessário racionalizar, estas empresas sofreriam ainda mais, pois quanto menor o consumo de energia, menor a receita.

Mas em cenários como este, também surgem boas oportunidades!

A maior empresa do setor elétrico do Brasil, e uma das maiores do mundo, já perdeu quase 25% de valor desde junho, e os números da empresa mostram que é interessante ficar de olho.

Com essa recente queda no preço das ações, a empresa chegou em um valor de P/VP, ou seja, preço sobre valor patrimonial, de 0,78, é o que Warren Buffett dizia, comprar um dólar, por 50 centavos, ou neste caso, comprar um real por 78 centavos. Mas além deste incrível desconto que o mercado está oferecendo, a empresa apresenta números muito atrativos. Se avaliarmos o crescimento médio do preço das ações nos últimos dez anos, chegamos ao valor de 9,37% e os proventos pagos para 2021 geram um dividend yield de 6,39%.

Caso a crise hídrica se agrave e ocorra a racionalização, pode ser que o valor das ações caiam ainda mais, mas, para investidores que buscam comprar barato, pode ser que esta seja uma boa oportunidade.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos