Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.336,77
    -4.980,14 (-9,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Privatização da Petrobras faria pouca diferença com atuais regras de governança, diz CEO

·1 min de leitura
Luna em sessão no Congresso, em Brasília

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras poderá ser privatizada no futuro desde que seja de interesse da União, mas tal movimento faria pouca diferença em sua operação considerando suas atuais regras de governança, disse nesta terça-feira o presidente da companhia, Joaquim Silva e Luna.

O executivo acrescentou ainda, em entrevista à TV Jovem Pan, que a redução do número de estatais é "uma tendência global", e que a desestatização da Petrobras reduziria o recebimento de dividendos pelo governo.

"Essa é uma decisão que poderá ser tomada a partir de um estudo aprofundado por iniciativa do acionista majoritário, a União. A modificação disso seria a redução daquilo que ela(União) recebe de dividendos e royalties, porque em termos de como ela trabalha a diferença é muito pequena", disse o executivo.

"Ser uma empresa privada ou estatal, como ela funciona hoje, a diferença é muito pequena", acrescentou.

"Ela (Petrobras) tem um sistema de governança e conformidade que dificilmente seria alterado. Poderia ser privatizada? Sim, essa é a tendência do mundo, diminuir as estatais", adicionou.

O general da reserva confirmou ainda que o novo plano de negócios da estatal, que será divulgado na quinta-feira, manterá o seu foco no pré-sal, confirmando reportagem da Reuters publicada na semana passada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos