Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.670,86
    +950,98 (+2,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Private equity migra de combustíveis fósseis para ativos verdes

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O setor de private equity há muito tempo financia negócios em combustíveis fósseis. Mas agora tem lançado fundos de ativos verdes em ritmo recorde na tentativa de atrair o dinheiro institucional que flui para investimentos que protegem o meio ambiente.

As empresas de private equity de hoje - incluindo a Blackstone, maior gestora de ativos alternativos do mundo - têm injetado capital em setores de rápido crescimento, como energia solar, captura de carbono e armazenamento em baterias. Parte do atrativo decorre da rápida adoção da energia eólica e solar em meio à maior demanda da população por responsabilidade climática. A mudança na estratégia de investimentos chega depois de anos de desafios para o mercado de energias renováveis.

Especialmente nos últimos 18 meses, fatores ambientais, sociais e de governança, ou ESG na sigla em inglês, também ganharam mais peso para investidores da América do Norte, disse Kelly DePonte, diretora-gerente da Probitas Partners, que ajuda a captar recursos para fundos de private equity. Como os rivais europeus, começam a priorizar os chamados fatores ESG seriamente. E para onde vai o dinheiro, também vai o private equity.

Investidores de private equity, como fundos de pensão, “estão deixando de investir em petróleo e gás, independentemente dos retornos, em busca de suas metas de neutralidade em carbono”, disse DePonte.

Fundos de private equity que investem exclusivamente em ativos de energia renovável levantaram cerca de US$ 52 bilhões no ano passado, um recorde, de acordo com o Preqin, um provedor de dados. Além disso, o capital levantado neste ano para esses fundos já ultrapassa a captação para ativos de combustíveis fósseis por um fator de cerca de 25.

“O movimento em direção ao investimento focado em ESG começa a reduzir a oferta de capital para o setor de energia convencional”, disse Dave Lowery, chefe de insights de pesquisa do Preqin. Fundos de energia renovável levantaram US$ 258 bilhões na década até 2020, representando cerca de 30% do setor de energia em geral, disse. Mas a proporção de fundos alocados em energia renovável aumentou significativamente desde 2016 e está em cerca de 80% no acumulado de 2021, segundo dados dp Preqin.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos