Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.256,36
    -3.411,42 (-2,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.310,27
    -841,11 (-1,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,47
    +0,25 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.769,10
    -28,80 (-1,60%)
     
  • BTC-USD

    48.640,19
    +337,84 (+0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    972,28
    -22,38 (-2,25%)
     
  • S&P500

    3.829,34
    -96,09 (-2,45%)
     
  • DOW JONES

    31.402,01
    -559,85 (-1,75%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.788,00
    -514,00 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7368
    +0,1663 (+2,53%)
     

Privacy, a OnlyFans brasileira, chega a 125 mil usuários e 17 mil criadores

Felipe Ribeiro
·2 minuto de leitura

Você certamente já deve ter ouvido falar no OnlyFans, uma plataforma em que produtores de conteúdo colocam seus materiais e cobram pelo acesso. Pois saiba que o Brasil também tem uma opção e que cresce a cada mês: a Privacy. De acordo com a empresa, o ecossistema já conta com 125 mil usuários cadastrados e 17 mil criadores.

Lançada em setembro de 2020, a Privacy mira influenciadores e criadores de conteúdo que queiram um engajamento mais seletivo e que, claro, queiram monetizar com isso. Um dos grandes diferenciais da plataforma é a liberdade para os influenciadores criarem conteúdos diversos e de boa qualidade, seja em aulas de coaching, consultorias e até vídeos de exibicionismo.

Para isso, a Privacy segue uma política de cadastro rigorosa. Ao preencher o formulário, os usuários, que precisam ser maiores de 18 anos, comprovam sua identidade por meio de foto do documento de identificação e, só após passar por essa verificação, disponibiliza os dados bancários para receber os valores dos assinantes ou demais consumidores.

Os influenciadores podem disponibilizar seus conteúdos por meio de vídeo, fotos e até salas reservadas para uma dinâmica ao vivo. Todo material fica disponível no seu feed, onde qualquer usuário, ao se interessar, pode pagar para consumi-lo de forma pontual — quando se interessa por determinada aula ou pack de imagens — por assinatura mensal, para receber todos os materiais postados pelo influenciador, ou um conteúdo personalizado, que pode ser solicitado pelo chat da plataforma. A Privacy ainda conta com a ferramenta “explorar”, na qual os usuários podem pesquisar por conteúdos de interesse.

Imagem: Privacy
Imagem: Privacy

De acordo com a empresa, a plataforma recebe 20% em cima do valor faturado pelos criadores de conteúdo, que é composto 90% por mulheres, enquanto entre os cadastrados, a maioria se inverte, chegando a 93% de homens. Os produtores de conteúdo cadastrados podem estipular o valor médio que varia de R$10 a R$500 para os seus assinantes, além dos conteúdos vendidos separadamente ou personalizados. Alguns dos influenciadores mais famosos na plataforma já contabilizaram o montante de R$ 100 mil em apenas um mês, por exemplo.

Para conhecer mais sobre a Privacy, basta visitar seu site oficial.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: