Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.667,78
    +440,32 (+0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.151,38
    -116,95 (-0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,57
    +0,35 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.802,70
    +4,80 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    49.709,08
    +1.141,55 (+2,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    979,60
    -35,32 (-3,48%)
     
  • S&P500

    3.925,43
    +44,06 (+1,14%)
     
  • DOW JONES

    31.961,86
    +424,51 (+1,35%)
     
  • FTSE

    6.658,97
    +33,03 (+0,50%)
     
  • HANG SENG

    29.718,24
    -914,40 (-2,99%)
     
  • NIKKEI

    29.671,70
    -484,33 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.326,00
    +24,00 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5791
    -0,0314 (-0,47%)
     

Prioridades de Bolsonaro para o Congresso incluem reformas econômicas e privatização da Eletrobras

RENATO MACHADO E DANIELLE BRANT
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Após o término das eleições para as presidências do Congresso, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) entregou uma lista de projetos prioritários para seu governo, aos novos presidentes da Câmara e do Senado, respectivamente Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Em relação à área econômica, a lista vai da aprovação de reformas, a privatização da Eletrobras até a polêmica proposta de mineração em terras indígenas. A lista foi entregue por Bolsonaro em reunião na manhã desta quarta-feira (3), com Lira e Pacheco, no Palácio do Planalto. A pauta econômica marca muitos pontos comuns de interesse entre o presidente e os novos presidentes do Congresso. Antes da reunião com Bolsonaro, Lira e Pacheco realizaram um evento no qual uma lista de prioridades, que foram levadas também a Bolsonaro. Pacheco afirmou que vai estabelecer "prazos" com os relatores de propostas de interesse do governo, como a reforma tributária e a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) Emergencial, que estabelece gatilhos para conter a alta das despesas. A lista de Bolsonaro também estabelece como prioritárias a reforma tributária -que tramita, em separado, nas duas Casas legislativas- e a reforma administrativa. Também pede a aprovação das PECs Emergencial, dos Fundos e a do Pacto Federativo. Ambas fazem parte do pacote do ministro Paulo Guedes (Economia), chamado Programa Mais Brasil, que se encontram paralisadas no Congresso. Um dos principais pontos é a privatização da Eletrobras, proposta que enfrenta resistência no Congresso. Na semana passada, o então presidente da empresa Wilson Ferreira Junior pediu demissão e um dos motivos alegados foi a dificuldade para privatizá-la. O governo federal também pretende aprovar o polêmico projeto que regulamenta a mineração em terras indígenas. A proposta vem sendo defendida publicamente pelo vice-presidente Hamilton Mourão, como uma forma de conter as atividades de garimpo ilegais e, consequentemente, os desmatamentos na região da Amazônia. O presidente busca a aprovação de projetos de lei referentes à partilha do petróleo e gás. A proposta do senador José Serra (PSDB-SP) dispõe sobre a exploração e a produção de petróleo e de gás natural, sob o regime de partilha de produção, em áreas do pré-sal e em áreas estratégicas. O objetivo é permitir a licitação com concessão nos blocos em que esse regime for mais vantajoso para o Brasil e instituir a disputa em igualdade de condições nas licitações de partilha da produção. O governo também aponta como prioridade as propostas que modernizam o setor elétrico, que disciplina a exploração indireta do transporte ferroviário e que estabelecem o marco legal do mercado de câmbio.