Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.944,04
    -206,57 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Principal infectologista dos EUA diz que está disposto a ajudar o Brasil na pandemia

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mais importante conselheiro do presidente Joe Biden para a Covid-19, o infectologista americano Anthony Fauci disse nesta quarta (3) que está disposto a ajudar o Brasil, que enfrenta o pior momento da crise da sanitária. "Eu ficaria feliz em discutir com as autoridades brasileiras se eles quiserem conversar sobre as opções que o país pode ter", afirmou Fauci, em entrevista coletiva da Casa Branca sobre a pandemia. Segundo ele, os cientistas e as autoridades de saúde precisam investigar a relação entre os anticorpos induzidos pelas vacinas que estão sendo aplicadas no país e a eficácia delas no combate à variante P1, que é dominante no Brasil. "O melhor que se pode fazer é vacinar as pessoas o mais rápido possível, quanto mais pessoas possível", disse ele. Nesta quarta, o Brasil mais uma vez bateu o recorde de mortes registradas em um único dia, com 1.840 óbitos. Além disso, pelo quinto dia consecutivo, o país tem recorde na média móvel de mortes, 1.332. O país já está há 42 dias seguidos com média móvel acima de 1.000.