Mercado abrirá em 7 h 41 min
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,30 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,36 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,05
    -2,23 (-2,92%)
     
  • OURO

    1.749,50
    -4,50 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    16.201,04
    -334,25 (-2,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,84
    -2,81 (-0,73%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,93 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.225,41
    -348,17 (-1,98%)
     
  • NIKKEI

    28.148,84
    -134,19 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    11.687,50
    -95,25 (-0,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6056
    -0,0188 (-0,33%)
     

Principais traders de petróleo veem demanda estável apesar dos ventos contrários

Petroleiro ancorado em Cingapura

GENEBRA (Reuters) - Os ventos contrários econômicos ainda não corroeram significativamente a demanda mundial por petróleo, disseram os principais comerciantes de petróleo na Argus European Crude Conference, em Genebra, nesta terça-feira.

As previsões dos altos executivos das principais tradings de commodities indicam cenário de maior resiliência dos preços do petróleo após os temores da recessão terem feito o barril despencar cerca de um quarto nos últimos três meses, para cerca de 90 dólares.

"Todos os diferentes fatores sugerem que, sim, podemos estar caminhando em uma desaceleração, mas será mais curta e mais superficial do que as pessoas estão esperando", disse o economista-chefe da Trafigura, Saad Rahim. A queda dos preços do petróleo e os meses de forte volatilidade assustaram o mercado, com os principais países consumidores ainda aproveitando estoques estratégicos para esfriar os preços enquanto os principais exportadores da aliança Opep+ podem ter uma visão oposta e cortar a produção esta semana. Frederic Lasserre, chefe global de pesquisa e análise de mercado no Gunvor Group, disse que a demanda permaneceu estável, acrescentando que ele viu uma recessão curta e acentuada. "A demanda por petróleo... se você olhar para os dados mais recentes, ainda está indo bem. Estávamos esperando alguma destruição da demanda, que realmente não aconteceu. Alguns países tinham subsídios, mas ainda assim. Nós fomossurpreendidos", disse.

(Reportagem de Julia Payne)