Mercado fechará em 4 h 44 min

Conheça os principais financiamentos para cursar uma faculdade

O custo do ensino superior pode ser muito elevado (Getty Images)

Fazer uma faculdade para se dar bem no mercado ou mesmo realizar o sonho de adquirir novos conhecimentos. Quando não é possível ingressar em uma universidade gratuita, e a grana está curta para fazer uma instituição particular, o jeito é buscar um financiamento estudantil.

Conheça as principais formas de financiamento estudantil

Leia também

FIES, o mais popular

Um dos programas estudantis mais conhecidos é o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), criado pelo MEC (Ministério da Educação). O projeto tem como propósito financiar a educação de estudantes matriculados em faculdades e universidades privadas, mas que não possuem renda suficientemente para pagar.

Para fazer parte do programa, os alunos devem estar matriculados nas instituições cadastradas e em cursos com avaliação positiva no MEC. Outro requisito necessário é ter feito a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), conseguindo uma nota mínima de 450 pontos e não ter zerado a redação.

Além disso, sua renda familiar não pode ser maior que três salários mínimos. A taxa de juros é de 6,5% ano. O FIES cobra ainda uma taxa trimestral de R$ 150.

Prouni é uma boa para quem estudou no ensino público

Outro programa do governo é o Prouni (Programa Universidade para Todos), criado também pelo Ministério da Educação. Eles disponibilizam bolsas de estudo integrais e parciais de 50% em faculdades ou universidades privadas, válidas para cursos de graduação e sequenciais de formação específica. O Prouni para alunos que já possuem diploma de curso superior. Outros critérios são nota maior que 450 pontos no ENEM sem ter zerado na redação.

Outros requisitos necessários para participar do Prouni é ter pelo menos cursado o ensino médio em escola pública ou privada, mas sendo bolsista integral. Ter uma renda familiar bruta de pelo menos três salários mínimos para bolsas parciais e um salário e meio para bolsas integrais.

Portadores de necessidades especiais e professores da rede pública também podem participar do financiamento estudantil.

Bancos e faculdades privadas oferecem programas

Outras formas de financiamento de estudo vêm das instituições bancárias ou das redes de ensino, que possuem seu próprio financiamento estudantil. Elas disponibilizam o crédito no valor desejado e deixam o pagamento ser feito em 12 meses por semestre. No entanto, algumas dessas formas de financiamento geralmente têm taxas anuais mais caras do que os programas governamentais. Por isso, deve-se analisar qual a melhor forma de financiar os estudos.