Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.452,95
    -1.854,26 (-2,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

As principais datas da vida de Abdelaziz Bouteflika

·1 minuto de leitura
Perfil de Abdelaziz Bouteflika (AFP/Simon MALFATTO)

Seguem abaixo as principais datas da vida do ex-presidente argelino Abdelaziz Bouteflika, que morreu nesta sexta-feira, aos 84 anos:

- 2 de março de 1937: nasce, em Oujda, Marrocos, em uma família originária de Tlemcen, oeste da Argélia.

- 1956: une-se ao Exército de Libertação Nacional, braço militar da Frente de Libertação Nacional, que luta contra a presença colonial francesa na Argélia.

- 1962-63: ministro da Juventude, Esporte e Turismo no governo do primeiro presidente, Ahmed Ben Bella.

- 1963-79: ministro das Relações Exteriores dos governos Ben Bella e Houari Boumediene, segundo presidente do país.

- 1981-87: afastado da política, vive no exílio em Dubai e Genebra.

- abril de 1999: é eleito presidente após os seis adversários se retirarem da disputa alegando irregularidades.

Em setembro, os argelinos aprovam em referendo seu programa de reconciliação civil, que oferece anistia parcial aos extremistas islâmicos armados da guerra civil de 1992-1999.

- 2004: é reeleito presidente.

- 2005: é internado às pressas em Paris com uma "úlcera hemorrágica no estômago".

- 2009: é eleito para o terceiro mandato com 90% dos votos, após modificar a Constituição para poder continuar mais cinco anos à frente do governo.

- 2013: sofre um acidente vascular cerebral que deixa sequelas graves.

- 2014: ganha as eleições para o quarto mandato, apesar de ter aparecido apenas uma vez na campanha, em cadeira de rodas.

- Fevereiro de 2019: anuncia a candidatura ao quinto mandato presidencial, gerando grandes manifestações, que se converteram no movimento de protesto conhecido como Hirak.

- 2 de abril de 2019: renuncia à presidência após perder o apoio do chefe do Exército, Ahmed Gaid Salah, em meio à onda de protestos

- 17 de setembro de 2021: morre, aos 84 anos.

ber/vdr/bpe/roc/ybl/mas/dg/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos