Mercado abrirá em 3 h 11 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,64
    +0,63 (+0,87%)
     
  • OURO

    1.794,50
    -3,50 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    16.830,24
    +32,41 (+0,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,30
    -6,73 (-1,67%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.487,66
    -1,53 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.532,50
    +23,00 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4745
    +0,0081 (+0,15%)
     

Principais big techs chinesas revelam como funcionam seus algoritmos

As autoridades chinesas anunciaram recentemente que as principais big techs da China, incluindo a Tencent e o Alibaba, enviaram mais detalhes sobre o funcionamento dos seus algoritmos para cumprir com a solicitação de Pequim — que tem reforçado a supervisão sobre a internet do país.

A lista com detalhes sobre os mecanismos de operação dos algoritmos divulgada pela Administração do Ciberespaço da China (CAC) conta com informações de 30 empresas que incluem outras gigantes como Taobao do Alibaba, Wechat da Tencent, Meituan, Douyin da ByteDance, Baidu, Xiaomi e Kuaishou (Kwaii da China).

Segundo a mídia estatal, as empresas têm usado os algoritmos para invadir a privacidade dos usuários, manipular e influenciar as suas escolhas. Por isso, em março deste ano, Pequim lançou o Sistema de Arquivamento de Algoritmos do Serviço de Informação na Internet.

Após a implementação do sistema, as plataformas com recomendação de algoritmos contendo “atributos de opinião pública ou capacidade de mobilização social'' foram obrigadas a arquivar as informações sobre os seus algoritmos dentro de dez dias úteis a partir da data de lançamento dos serviços relacionados.

A lista recente do CAC foi a primeira a ser divulgada publicamente desde que as novas regulamentações para serviços de recomendação de algoritmos e o sistema de arquivamento foram aprovadas por Pequim.

Segundo a lista, o algoritmo de recomendação do Taobao do Alibaba funciona com base no histórico de visitas e pesquisas de cada usuário para recomendar produtos e serviços, enquanto que a empresa de delivery de comida, Meituan, conta com seu algoritmo para estimar os prazos de entrega e encontrar entregadores próximos.

Apps com “atributos de opinião pública ou capacidade de mobilização social'' são obrigados a revelar como seus algoritmos funcionam (Imagem: Reprodução/Markus Spiske/Unsplash)
Apps com “atributos de opinião pública ou capacidade de mobilização social'' são obrigados a revelar como seus algoritmos funcionam (Imagem: Reprodução/Markus Spiske/Unsplash)

A lista também revela como os algoritmos da versão chinesa do TikTok, Douyin, funcionam. Segundo os detalhes, o app analisa e calcula as informações do equipamento do usuário, de localização e de comportamento coletadas pelo sistema e seleciona o conteúdo que as pessoas podem achar mais interessante com base nos cálculos do algoritmo.

O mecanismo do algoritmo do Douyin é baseado principalmente no comportamento histórico dos usuários, que incluem fatores como cliques, tempo de exibição e engajamento — likes e comentários.

Depois que as informações são coletadas, um modelo é criado por meio da tecnologia baseada em inteligência artificial de aprendizado profundo para calcular a probabilidade de um usuário interagir com determinadas postagens ou vídeos e em seguida o Douyin recomenda o conteúdo. A modalidade é bastante usada para plataformas de vídeos curtos com recomendações de imagens, vídeos e publicidade na China.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: