Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,24
    -0,42 (-0,51%)
     
  • OURO

    1.798,10
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    58.867,57
    -1.852,96 (-3,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.406,02
    -68,31 (-4,63%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.605,75
    +18,50 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4263
    -0,0278 (-0,43%)
     

Primeiro-ministro holandês seria alvo de gangues de narcotraficantes

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte (AFP/Sem van der Wal)

A polícia holandesa elevou o nível de segurança em torno do primeiro-ministro Mark Rutte, com medo de que possa ser vítima de um sequestro ou um ataque por parte de narcotraficantes, segundo informações publicadas nesta segunda-feira (27) pela imprensa local.

A ameaça contra Rutte, conhecido por andar de bicicleta com poucas medidas de segurança, é consequência de uma promessa do governo de tomar medidas enérgicas contra o crime organizado, depois do assassinato em julho de um jornalista investigativo conhecido, Peter R. de Vries.

O primeiro-ministro de centro-direita teria sido seguido por supostos membros ou pessoas próximas a uma conhecida gangue de narcotraficantes chamada de "Mocro Mafia", informou o jornal popular "De Telegraaf", assim como várias emissoras de notícias.

O escritório do primeiro-ministro, o Coordenador Nacional holandês de Segurança e Contraterrorismo (NCTV), assim como a procuradoria nacional se recusaram a comentar esta informação.

"Nunca comentamos assuntos vinculados às medidas de segurança", disse à AFP um porta-voz do escritório de Rutte.

Por sua vez, o NCTV enviou um e-mail nos mesmos termos: "Nunca fazemos comentários sobre assuntos relacionados à segurança das pessoas".

No entanto, de acordo com o De Telegraaf, haveria "sinais de que [Rutte] poderia ser alvo de um ataque ou sequestro" e que várias vezes 'observadores' foram vistos perto dele, "suspeitos" de manterem vínculos com a "Mocro Mafia".

'Observadores' similares estiveram envolvidos no assassinato, em julho, do jornalista especialista em casos criminais Peter R. de Vries, e no de um advogado que representou a testemunha-chave no julgamento contra o suposto líder de Mafia Mocro, em 2019, informou o jornal.

A gangue recebe o apelido de "Mocro Mafia" porque seus integrantes são majoritariamente de origem marroquina e caribenha.

dk/jcp/ial/age/pc/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos