Mercado abrirá em 9 h 36 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,69
    -0,08 (-0,15%)
     
  • OURO

    1.857,80
    +2,60 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    32.510,60
    +142,31 (+0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    657,38
    -19,52 (-2,88%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    29.758,67
    -400,34 (-1,33%)
     
  • NIKKEI

    28.645,99
    -176,30 (-0,61%)
     
  • NASDAQ

    13.441,75
    -33,75 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7114
    +0,0752 (+1,13%)
     

Primeiro dia da testagem em massa para Covid-19 tem postos vazios

·1 minuto de leitura
Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

O início da testagem em massa para coronavírus sofreu um novo atraso. Inicialmente, os primeiros testes começariam na quinta-feira, dia 3, mas foram remarcados para esta sexta-feira, dia 4. No entanto, ninguém apareceu nos postos na primeira hora de atendimento, às 7h. O cadastramento para realização do procedimento, de método RT-PCR, foi pelo aplicativo Dados do Bem. A Secretaria de Estado de Saúde investiga se houve falha no sistema, segundo o "Bom Dia Rio", da TV Globo. A listagem, com 1,5 mil vagas não teria sido repassada às três unidades.

O plano de testagem prevê que cada um dos três centros tenham capacidade para 500 vagas por dia, das 7h às 19h. As unidades selecionadas são: Hospital Estadual Alberto Torres e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Colubandê, em São Gonçalo, e no Hospital Regional do Médio Paraíba Dra. Zilda Arns Neumann, em Volta Redonda. A escolha, segundo o governo, levou em consideração o aumento de casos nessas regiões e a oferta de exames RT-PCR já existente em outros municípios do estado.

O Dados do Bem é uma iniciativa sem fins lucrativos, desenvolvida pelo Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e pela Zoox , que combina inteligência epidemiológica e big data para acompanhamento, em tempo real, da distribuição da epidemia do coronavírus nos centros urbanos. O aplicativo cria mapas de contágio e mostra os locais com maior índice de contaminação. Os resultados vão auxiliar a população e o Poder Público na tomada de decisões em relação ao enfrentamento da pandemia.