Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,70
    +0,49 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.403,70
    +83,11 (+0,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Primeira missão privada à ISS retorna à Terra

·3 min de leitura

Três empresários e um ex-astronauta da Nasa pousaram nesta segunda-feira (25) nas águas da Flórida a bordo de uma nave da SpaceX, depois de 15 dias na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) como parte de uma missão privada.

A cápsula Dragon e seus quatro passageiros pousaram por volta das 13h00 locais (14h00 no horário de Brasília) após uma descida vertiginosa, desacelerada pela entrada na atmosfera e por enormes paraquedas.

Uma embarcação da SpaceX irá buscá-los no Oceano Atlântico, perto de Jacksonville.

Esta missão, denominada Ax-1, foi organizada pela empresa americana Axiom Space e foi a primeira missão totalmente privada a ir à ISS.

A Axiom comprou o meio de transporte da SpaceX e pagou à Nasa pelo uso de sua estação.

Os quatro membros da tripulação - três clientes que pagaram dezenas de milhões de dólares cada e o ex-astronauta hispano-americano Michael Lopez-Alegría - decolaram em 8 de abril da Flórida.

Eles chegaram à ISS no dia seguinte e deveriam passar apenas oito dias lá.

No entanto, sua partida foi adiada várias vezes na semana passada devido às más condições meteorológicas. Acabaram passando 15 dias na ISS e 17 no total em órbita.

"Obrigado de novo por todo o apoio durante esta aventura, que durou mais e foi ainda mais emocionante que o esperado", disse Michael López-Alegría, comandante da missão, quando partiu.

Junto a ele estavam o americano Larry Connor, executivo de uma empresa imobiliária; o canadense Mark Pathy, chefe de uma empresa de investimentos; e o ex-piloto israelense Eytan Stibbe, cofundador de um fundo de investimentos.

Todos os quatro se recusam a ser considerados "turistas espaciais".

Eles alegam ter realizado uma série de experimentos a bordo da ISS, em colaboração com centros de pesquisa e universidades, sobre envelhecimento e saúde do coração, entre outros temas.

O canadense Mark Pathy também passou muito tempo na famosa cúpula de observação da ISS, para fotografar a Terra, segundo o diário de bordo da estação, publicado em um blog da Nasa.

- Novas missões -

O pouso desta segunda-feira foi o quinto de uma nave Dragon tripulada. A SpaceX transporta regularmente astronautas da Nasa à ISS.

Atualmente, há sete pessoas a bordo da Estação: três americanos e um alemão que chegaram em uma nave da SpaceX, a tripulação conhecida como Crew-3, e três russos que viajaram a bordo de um foguete Soyuz.

A eles se juntarão, nos próximos dias, outros quatro astronautas, três americanos e um italiano, a Crew-4. Assim que a transferência for concluída, a Crew-3 voltará à Terra.

A empresa de Elon Musk também realizou no ano passado outra missão totalmente privada (Inspiration4), mas esta não chegou à estação espacial e os quatro passageiros apenas permaneceram na cápsula durante três dias.

No passado, já houve visitas à ISS, sobretudo na década de 2000. Contudo, os visitantes voaram a bordo de um foguete russo Soyuz, acompanhados de cosmonautas.

No ano passado, a Rússia retomou essas viagens, enviando uma equipe de filmagem e um bilionário japonês.

A Nasa, por sua vez, incentiva a privatização da órbita baixa. Por um lado, quer gerar receitas com essas missões privadas, e já aprovou uma segunda, Ax-2. Além disso, assim que a ISS for aposentada por volta de 2030, a agência americana não quer gerenciar o funcionamento de uma nova estação espacial e prefere que isso fique a cargo de empresas privadas.

Assim, a Nasa se limitaria a contratar os serviços dessas empresas para enviar seus astronautas e se concentraria na exploração do espaço.

A Axiom Space é uma das empresas mais avançadas nesse nicho: quer lançar seu primeiro módulo, a partir de sua própria estação, em 2024. Em um primeiro momento, a estrutura se acoplaria à ISS, antes de se tornar autônoma e substituir a estação.

A experiência da Ax-1 é um primeiro passo, segundo os seus diretores, para assentar as bases para as missões futuras.

la/rle/erl/rsr/aa/mvv/rpr/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos