Mercado fechará em 5 h 7 min
  • BOVESPA

    125.478,81
    -667,84 (-0,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.288,04
    +47,53 (+0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,69
    -0,22 (-0,31%)
     
  • OURO

    1.796,00
    -9,40 (-0,52%)
     
  • BTC-USD

    32.460,24
    +278,79 (+0,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    789,70
    -4,03 (-0,51%)
     
  • S&P500

    4.395,59
    +28,11 (+0,64%)
     
  • DOW JONES

    35.016,37
    +193,02 (+0,55%)
     
  • FTSE

    7.018,91
    +50,61 (+0,73%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.003,75
    +75,25 (+0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0844
    -0,0358 (-0,58%)
     

Primeira invasora do Capitólio dos EUA a ser julgada evita prisão

·2 minuto de leitura
Simpatizantes de Trump invadem o Capitólio de Washington em 6 de janeiro de 2021

Um juiz federal proferiu nesta quarta-feira (23) a primeira sentença contra uma das pessoas acusadas de invadir o Capitólio dos Estados Unidos, mas a ré evitou a prisão após expressar arrependimento.

Anna Morgan-Lloyd havia chegado a um acordo com os promotores antes da audiência e admitiu ter entrado ilegalmente no prédio do Congresso em 6 de janeiro, quando legisladores se preparavam para certificar a vitória eleitoral de Joe Biden sobre Donald Trump.

"Eu estava lá para apoiar pacificamente o presidente Trump e estou envergonhada de que tudo se transformou em uma exibição selvagem de violência", afirmou a ré na audiência por videoconferência em um tribunal federal em Washington.

A mulher de 49 anos estava entre os milhares de apoiadores de Trump que acreditavam em suas alegações infundadas de fraude eleitoral. O ex-presidente exortou-os em 6 de janeiro a se reunirem em frente ao Capitólio para evitar que a vitória de seu adversário fosse certificada.

Uma multidão invadiu o prédio, obrigando a suspensão da sessão legislativa e resultando em incidentes que deixaram 5 mortos.

Morgan-Lloyd disse que esteve no Capitólio por apenas 10 minutos e não cometeu nenhum ato violento. "Foi o dia mais emocionante da minha vida", escreveu ela mais tarde no Facebook.

No entanto, depois de ser presa, ela cooperou com as autoridades. Ela se desculpou e "reconsiderou muitas de suas ideias", segundo seu advogado.

Por ter se arrependido, os promotores pediram que ela fosse condenada a três anos de liberdade condicional, com a condição de que ela prestasse serviço comunitário e pagasse 500 dólares por danos causados.

O juiz Royce Lamberth endossou esse pedido e reiterou que a conduta da ré foi um "crime grave".

A insurreição "não foi um acidente que se tornou violento", disse o magistrado.

As autoridades identificaram cerca de 800 suspeitos de participação no assalto ao Capitólio, em um episódio que abalou os Estados Unidos.

Até agora, cerca de 500 participantes foram localizados e processados pela justiça.

chp/led/caw/dw/gm/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos