Mercado abrirá em 34 mins
  • BOVESPA

    117.560,83
    +363,01 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,85 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,91
    +1,46 (+1,65%)
     
  • OURO

    1.717,80
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    19.996,66
    -220,61 (-1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    454,72
    -8,40 (-1,81%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,93 (-1,15%)
     
  • FTSE

    7.009,28
    +12,01 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    17.740,05
    -272,10 (-1,51%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.508,75
    -33,00 (-0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1029
    -0,0106 (-0,21%)
     

Preview Renault Kwid E-Tech | Versão elétrica tem mais vocação urbana que a flex

A Renault é uma das montadoras que mais tem apostado na eletrificação nos últimos anos, principalmente no Brasil. A francesa já trouxe duas gerações do Renault Zoe e agora aposta suas fichas em modelos que devem atender diferentes faixas de público, como o Renault Megane E-Tech e o Renault Kwid E-Tech.

A versão 100% elétrica do subcompacto foi lançada oficialmente nesta semana e já teve o primeiro lote esgotado, com um segundo previsto para chegar até o final do ano. Até o momento, foram mais de 700 unidades reservadas, o que mostra o bom interesse do público para esse tipo de veículo.

Versões flex e elétrica do Kwid têm a mesma proposta, mas o zero emissão eleva isso a outros níveis (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Versões flex e elétrica do Kwid têm a mesma proposta, mas o zero emissão eleva isso a outros níveis (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Bem, mas, qual será a proposta do Renault Kwid E-Tech? Com 298km de autonomia, a essência desse carro é até mais evidenciada do que em sua variante flex: uso urbano. Com esse alcance de bateria, justifica-se tê-lo como seu carro principal para o uso cotidiano, desde que a prioridade seja no perímetro da cidade, para deslocamentos curtos.

Mas, em nosso breve contato com o carrinho elétrico, deu para perceber que ele até pode ser seu único carro na garagem. Vai depender da sua disposição em se aventurar no mundo dos carros zero emissão — tal qual acontece com outros modelos.

Renault Kwid E-Tech: Primeiras impressões

Assim que tivemos o primeiro contato com o Renault Kwid E-Tech, a intenção inicial era de tentar localizar as principais diferenças visuais com relação ao modelo avaliado pelo Canaltech na configuração flex. A bem da verdade, elas são bem poucas, mas suficientes para passar uma impressão de estarmos em um produto superior.

A grade dianteira, que abriga o bocal de carregamento, é bonita e se desloca para frente para que possamos inserir os carregadores. Há cromados, é verdade, mas nada de exagerado. As rodas de aro 14 são em liga leve e levam acabamento em black piano, enquanto as nomenclaturas "E-Tech" aparecem em tons dourados nas laterais e traseira do carro.

O Kwid sempre agradou no design, mas as mudanças na versão elétrica o tornaram melhor (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
O Kwid sempre agradou no design, mas as mudanças na versão elétrica o tornaram melhor (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Um esmero interessante para um carro que, na Europa e outros mercados, é bem popular, mas que aqui vai atingir um público mais endinheirado. Já no interior, ainda mais simplicidade, porém com tudo bem encaixado. Há, por exemplo, uma boa central multimídia com espelhamento de celulares e os bancos também são bem aconchegantes.

Porém, vamos para o que interessa: como anda o Kwid E-Tech? No trecho de pouco mais de 30km, fomos colocados em situações normais de trânsito, com trechos carregados, farois e até mesmo uma via expressa de alta velocidade. E a forma equilibrada e ágil com que esse carrinho se comportou é digna de elogios.

O interior segue simples, mas jeitosinho (Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech)
O interior segue simples, mas jeitosinho (Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech)

Seus 65cv e 11,5 kgf/m de torque são mais do que suficientes para arrancadas seguras no trânsito, ultrapassagens e conversões tranquilas de serem realizadas. Nos 90km/h da Marginal Pinheiros, em São Paulo, espantou a estabilidade do carro, bem superior à do irmão flex.

Já com relação à autonomia, percebemos que o sistema de regeneração deu um fôlego a mais do que se imaginava, mas é em nossa análise completa, com mais tempo, que vamos identificar sua competência real.

A letra "E" dourada entrega qual é a versão do Kwid que estamos dirigindo (Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech)
A letra "E" dourada entrega qual é a versão do Kwid que estamos dirigindo (Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech)

Renault Kwid E-Tech: O que esperar?

O breve contato com a versão elétrica do Renault Kwid não chega a ser surpreendente, porque já sabemos que os carros elétricos são extremamente eficientes para o uso urbano. O que impressionou, de fato, é como o motor zero emissão casou espetacularmente bem com a proposta desse subcompacto.

Há potencial de sobra para brigar com rivais como o JAC E-JS1 e o Caoa Chery i-Car.

Mal podemos esperar para passar mais dias com ele.

Renault Kwid E-Tech: Preço e disponibilidade

O Renault Kwid E-Tech pode ser encomendado em todo o Brasil por R$ 146.990. O carro elétrico também está disponível pelo Renault On-Demand, serviço de carros por assinatura da Renault, a partir de R$ 3.339 mensais (R$ 2.999 em caso de entrada de três mensalidades).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: