Mercado fechará em 29 mins

Preview Pulse Abarth | Um pouco de veneno não faz mal a ninguém

Quando por vezes citamos em nossa cobertura automotiva aqui no Canaltech que um carro é tecnologia de ponta a ponta não é uma mera frase feita. Desde os modelos de entrada até os mais sofisticados, podemos sentir exatamente tudo o que esse conjunto de técnicas é capaz de fazer em um produto como um automóvel. E, no caso do Pulse Abarth, isso é muito evidente.

A Abarth é a divisão esportiva da Fiat, assim como é a M para a BMW ou a AMG para a Mercedes-Benz. Aqui no Brasil já tivemos alguns produtos dessa linha, como os interessantes 500 Abarth e Stilo Abarth, cada um agradando públicos bem distintos, mas entregando esportividade de sobra.

O cinza strato será uma das cores de lançamento do Pulse Abarth (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
O cinza strato será uma das cores de lançamento do Pulse Abarth (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

No caso do Pulse Abarth, temos a quebra de alguns paradigmas. É o primeiro SUV Abarth da história e, logo de cara, desenvolvido no Brasil, mostrando a capacidade de nossa indústria, mais especificamente do time brasileiro da Fiat, de fazer um produto desse nível.

Na prática, quando comparamos com as versões tradicionais do Pulse, sentimos que todos os ajustes de engenharia e tecnologia transformaram o Pulse Abarth em um SUV muito, mas muito divertido. E que, dependendo do preço que for lançado, pode se transformar em um ótimo custo-benefício até mesmo para o dia a dia.

O Canaltech foi convidado pela Fiat para experimentar, em primeira mão, o novo Pulse Abarth em seu habitat natural: uma pista de corrida. O local escolhido foi o Autódromo de Tarumã, no Rio Grande do Sul, pista mais rápida do país e que ajudou a levarmos esse carro ao limite.

Pulse Abarth: Primeiras impressões

O Pulse Abarth não é simplesmente um Fiat Pulse com motor diferente. Ele recebeu uma preparação de fábrica para ficar realmente esportivo, com novos freios, dinâmicas de carroceria, escalonamento de câmbio, calibração da direção elétrica e motor, rodas mais largas e um sistema de exaustão que traz um ronco mais esportivo ao carro.

A pista é o habitat natural do Fiat Pulse Abarth (Imagem: Felipe Ribeiro)
A pista é o habitat natural do Fiat Pulse Abarth (Imagem: Felipe Ribeiro)

Com isso em mente, aí sim, podemos falar que o Pulse Abarth, como já era esperado, recebeu o motor 1.3 Turbo GSE de 185cv e 27,5 kgf/m de torque, o mesmo que equipa carros como o Jeep Renegade, Jeep Compass e Fiat Toro. E a partir disso, tudo é realmente muito diferente do Pulse que já testamos por aqui.

Com todos os ajustes necessários para ficar com o DNA Abarth, o Pulse Abarth se tornou um carro, digamos, destemido. Faz curvas como se fosse um hot hatch, acelera firme e ganha velocidade de modo muito rápido e tem uma dinâmica que traz emoção em situações como a que estávamos na pista — além de frear muito forte, como um esportivo deve ser.

Escapamento duplo dá um ar mais esportivo e agressivo ao Pulse Abarth (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Escapamento duplo dá um ar mais esportivo e agressivo ao Pulse Abarth (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Por segurança, claro, nenhuma das eletrônicas do carro foi desligada, mas a Fiat trabalhou bem para que tivéssemos muita esportividade e sentíssemos o carro no limite. Isso ficou ainda mais evidente quando ativamos o modo Poison, que deixa o Pulse Abarth ainda mais nervoso e ativa a vetorização de torque, fundamental para a realização de curvas com o pé fundo no acelerador.

Segundo a marca, o 0 a 100 km/h do Pulse Abarth quando abastecido com etanol é de 7,6 segundos, transformando-o no SUV compacto mais rápido do Brasil. Mas isso em linha reta. Penso que, em pista, nenhum dos modelos do mercado deve chegar perto do que esse modelo é capaz de proporcionar.

Freios a disco, somente na dianteira. Mas isso não foi um problema na pista (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Freios a disco, somente na dianteira. Mas isso não foi um problema na pista (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

No trajeto de Tarumã, a nossa única preocupação era de não levar os cones colocados pela equipe da TSO (empresa organiza eventos automotivos no Brasil) e de acelerar ao máximo esse que é um dos carros mais legais à venda no Brasil.

Novos detalhes

Visualmente, o Pulse Abarth também muda com relação ao Fiat Pulse Audace, por exemplo, que testamos aqui no Canaltech. A mudança mais sentida foi na dianteira, que é igual à do Fiat Fastback, com entradas de ar funcionais localizadas no para-choque e que ajudam na aerodinâmica.

O design do Pulse Abarth já era conhecido desde os tempos do Big Brother Brasil (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
O design do Pulse Abarth já era conhecido desde os tempos do Big Brother Brasil (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Além disso, o logotipo da Fiat não aparece em momento nenhum no carro, a não ser pela Italian Flag da grade, essa sim remetendo aos tempos mais antigos da montadora italiana. No interior, o SUV recebeu ajustes e está com um ar mais agressivo, com detalhes em vermelho, tons escurecidos no painel, teto, portas e bancos e os escorpiões da Abarth sempre que possível.

Em termos de equipamento, o Pulse Abarth vem com tudo o que a Fiat pode oferecer em termos de conectividade e segurança, como a nova central multimídia uConnect de 10,1 polegadas, o sistema Fiat Connect Me e novos recursos, como o freio de mão eletrônico e a função auto hold.

Há mais requinte e esportividade no Pulse Abarth em comparação aos modelos convencionais do SUV (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Há mais requinte e esportividade no Pulse Abarth em comparação aos modelos convencionais do SUV (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Pulse Abarth: O que esperar do SUV compacto esportivo?

O uso em pista do Pulse Abarth revelou que ele é, sim, um carro esportivo e não somente esportivado. As tecnologias empregadas ajudam o SUV compacto a ter um desempenho divertido e seguro, atraindo entusiastas que gostam de, justamente, usar o fim de semana para ir à pista e acelerar.

O Pulse Abarth está disponível em todo o Brasil por R$ 149.990. No Estado de São Paulo, o preço é de R$ 154.731.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: