Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.595,33
    -1.218,70 (-1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.773,57
    -22,73 (-0,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,73
    -3,22 (-4,60%)
     
  • OURO

    1.774,90
    -10,30 (-0,58%)
     
  • BTC-USD

    57.515,22
    -522,46 (-0,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.467,80
    +25,02 (+1,73%)
     
  • S&P500

    4.573,74
    -81,53 (-1,75%)
     
  • DOW JONES

    34.526,95
    -608,99 (-1,73%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.120,75
    -270,00 (-1,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3645
    +0,0353 (+0,56%)
     

Preview Halo Infinite | Caminho livre para ser o mais completo da franquia

·5 min de leitura

A espera está acabando. Depois de quase um ano de atraso, finalmente Halo Infinite será lançado e vai agraciar os jogadores e fãs da franquia, que estão órfãos de um game desde o lançamento do bom, mas insuficiente Halo 5: Guardians, de 2015. A demora pela sequência do principal nome do ecossistema Xbox se justifica e parece — ao que tudo indica — ter valido a pena.

O Canaltech teve a oportunidade de jogar as primeiras horas da campanha que traz, novamente, Master Chief para o centro das atenções. Depois de dividir o protagonismo com Jameson Locke no último jogo, o principal Spartan agora terá um caminho árduo para sobreviver e solucionar problemas causados pelos Covenant e os Banidos, novos inimigos dessa fase da franquia.

Entretanto, além do enredo, o que mais chamou a atenção em Halo Infinite foi a evidente evolução do que foi apresentado na metade do ano passado, na Xbox Games Showcase, quando o mundo se assustou com a péssima qualidade visual daquilo que seria o jogo-chave para o lançamento dos então novíssimos Xbox Series X e Xbox Series S. Os memes e as piadas parecem ter feito o pessoal da 343 Industries trabalhar muito bem e entregar algo extremamente promissor.

Por se tratar de um jogo que ainda não foi lançado oficialmente, é bem possível que tenhamos ainda mais polimentos na parte técnica, como gráficos e fluidez, mas, em um primeiro momento, dá para dizer que Halo Infinite vai agradar aos olhos da maioria dos jogadores.

(Imagem: Divulgação/Xbox)
(Imagem: Divulgação/Xbox)

Com isso em mente, vamos abordar as demais questões que pudemos observar nas missões iniciais do game.

*Nota da redação: por questões relacionadas ao embargo, não utilizaremos capturas de tela próprias.

Novas possibilidades

Com poucos minutos na campanha de Halo Infinite, já somos apresentados às novas características do jogo. A excelente e vencedora base de combate dos Spartan foi mantida, mas com acréscimos importantes e que flertam com elementos de RPG, algo que, certamente, deixará a progressão mais interessante e completa. Agora, Master Chief poderá melhorar seu traje mjolnir coletando "núcleos" e alocando-os em diferentes funções, como o novo arpéu e radar de localização de inimigos, essenciais para o avanço da trama.

Os adversários, por sua vez, parecem estar mais inteligentes e variados, realmente complicando sua vida. Segundo Steve Dyck, Character Director de Halo Infinite, a IA (inteligência artificial) do jogo se aperfeiçoa de acordo com suas habilidades, fazendo com que os inimigos fiquem cada vez melhores e correspondam ao nível da sua habilidade, tornando a experiência no game ainda mais prazerosa e divertida.

(Imagem: Divulgação/Xbox)
(Imagem: Divulgação/Xbox)

Além disso, a 343 acrescentou itens interessantes para que a jornada de Chief seja ainda mais complexa e atraente. Agora, o abastecimento de suplementos como munição e granadas é feito em estações de recarga específicas para cada tipo de arma. No caso do fuzil de assalto, principal arma do jogo, as balas são "cinéticas", enquanto os rifles dos Covenant e Banidos podem ser abastecidos com plasma.

Nas fases e mapas, aliás, também estão espalhadas cápsulas de energia que podem ser lançadas contra os inimigos e estouradas à distância para causar ainda mais dano, sendo essenciais, por exemplo, no enfrentamento de chefes e na destruição do cenário quando solicitado.

(Imagem: Divulgação/Xbox)
(Imagem: Divulgação/Xbox)

Para melhorar o armamento, seu desempenho nas missões também precisará ser muito bom, algo que pode desagradar alguns fãs de longa data da franquia, mas que traz algum frescor para a campanha. Em todos os momentos, nos sentimos em Halo, mas com boas novidades. "É o Halo maior e melhorado. Ele tem todas as características dos jogos da franquia", disse Paul Crocker, Associate Creative Director de Halo Infinite, em uma sessão de perguntas e respostas para a imprensa.

Mundo aberto, mas nem tanto

A progressão em Halo Infinite será um pouco diferente do que nos demais jogos da franquia. Isso acontece porque a 343 bebeu um pouco da fonte de Halo 3: ODST e acrescentou uma espécie de mundo aberto ao game, dando aos jogadores mais possibilidades e missões para percorrer durante a jornada de Chief em Zeta Halo. Há um mapa e a condição de se avançar por ele com veículos e viagens rápidas, algo também visto em outros jogos do gênero FPS, como Rage 2.

(Imagem: Divulgação/Xbox)
(Imagem: Divulgação/Xbox)

Esse caminho escolhido pelo estúdio foi bem parecido com o que vimos, também, em outra grande franquia do Xbox: Gears 5. Mas aqui, ao que tudo indica, não teremos tanta liberdade. Ao menos em linhas gerais, seremos sempre colocados, na maioria das vezes, logo de cara na cena de combate, com corredores, telas enormes e muitos locais para saltar e meter bala nos alienígenas.

Reboot espiritual

É bom ter Master Chief de volta e isso certamente vai trazer mais jogadores a Halo Infinite. Entretanto, diferentemente de outros games da franquia, o Spartan parece se sentir mais sozinho — sem estar tão sozinho assim. Com a eliminação de Cortana, agora ele terá a companhia de Arma, a nova inteligência artificial da UNSC, que foi muito bem pensada e parece ser mais eficiente do que sua antecessora (a ver).

Os inimigos, por sua vez, vestem a carapuça do "casca-grossa", mas sem deixar de lado as ideias malucas e ideológicas por trás de seus atos. Tudo isso está ilustrado no principal antagonista de Halo Infinite, Atriox e dos demais chefões, que parecem não estar tão alinhados com ele (como era de se esperar).

O enredo sempre foi ponto forte de Halo e parece que teremos algo mais legal para contar em Infinite do que em Guardians. Segundo a própria equipe do game, esse é o mais divertido jogo da franquia em termos narrativos, podendo até ser considerado um "reboot espiritual".

Halo Infinite estará disponível para Xbox One, Xbox Series X e S e PC em 8 de dezembro. O multiplayer do jogo, gratuito para jogar, já está disponível nas plataformas mencionadas, mas em formato beta. Já a opção de jogar a campanha cooperativamente, bem como o modo Forge, foram adiados para 2022.

No Canaltech, as primeiras missões de Halo Infinite foram jogadas no Xbox Series X a convite da Xbox Brasil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos