Mercado abrirá em 7 h 36 min
  • BOVESPA

    101.016,96
    -242,79 (-0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.245,86
    -461,86 (-1,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,74
    +0,18 (+0,47%)
     
  • OURO

    1.910,30
    +4,60 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    13.115,99
    +13,80 (+0,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,39
    -2,02 (-0,77%)
     
  • S&P500

    3.400,97
    -64,42 (-1,86%)
     
  • DOW JONES

    27.685,38
    -650,19 (-2,29%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.629,93
    -288,85 (-1,16%)
     
  • NIKKEI

    23.401,95
    -92,39 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    11.495,75
    +3,50 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6478
    +0,0073 (+0,11%)
     

Previdência privada tem em agosto 4º mês seguido de captação líquida positiva

·2 minutos de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A previdência privada aberta no Brasil teve captação líquida de 6,5 bilhões de reais em agosto, montante 21% maior que um ano antes e o quarto mês de alta nas contribuições, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi).

Em julho, os depósitos haviam superado os resgates em 6,8 bilhões de reais, após saldos também positivos de 5,4 bilhões e de 1,6 bilhão em junho e maio, respectivamente.

No fim de agosto, as reservas totais do setor somavam 979,4 bilhões de reais, 8,2% a mais em 12 meses.

"Notamos uma retomada gradual nos últimos 4 meses, tanto em novos depósitos como na captação líquida", disse o presidente da FenaPrevi, Jorge Nasser, em nota, referindo-se à retomada após o período mais difícil, entre março e abril, na esteira da turbulência nos mercados provocada pela pandemia da Covid-19.

Em novos depósitos, o setor atingiu o piso em abril, com 4,9 bilhões de reais, subindo para 7 bilhões em maio, 10,7 bilhões de junho, 13,1 bilhões em junho 12,6 bilhões em agosto.

No acumulado do ano até agosto, as novas contribuições somaram 77,5 bilhões de reais, 2,7% menos do que um ano antes, por conta das quedas registradas em abril e maio.

Os resgates no acumulado do ano cresceram 10,7% e somaram 52,7 bilhões. A captação líquida, por sua vez, seguiu no campo positivo com saldo de 22,4 bilhões de reais, embora tenha sido 22,7% menor ano a ano.

Segundo a Fenaprevi, o patamar baixo dos juros incentivou a migração de recursos dos planos de previdência para fundos de renda variável, com cotistas procurando maior rentabilidade. Os fundos multimercado, por exemplo, em agosto responderam por 15% das aplicações, percentual que era inferior a 6% há quatro anos.

(Por Aluísio Alves)