Presidente do Santander diz que só está interessado em "comprar" no Brasil

(Atualiza com mais declarações).

Brasília, 22 jan (EFE).- O presidente do Banco Santander, Emilio Botín, negou nesta terça-feira que esteja vendendo seus ativos no Brasil e disse que o único interesse da instituição no país é "comprar".

"O banco Santander vem para comprar, algumas vezes vendemos alguma coisa, mas no Brasil viemos para comprar", declarou Botín aos jornalistas antes de ser recebido pela presidente Dilma Rousseff, desmentindo assim rumores que circulavam no mercado financeiro de que parte do banco poderia ser vendida ao Bradesco.

Botín afirmou que o "Brasil, para o Santander, é o país mais importante do mundo". O presidente disse ainda que acredita em um aumento do crescimento da economia brasileira.

O diretor anunciou investimentos de R$ 3 bilhões no Brasil neste ano, destinados à abertura de novas agências, caixas automáticos e à construção de um centro de dados na cidade de Campinas, em São Paulo, que será "um dos maiores do mundo".

O objetivo do Santander para este ano é aumentar sua carteira de crédito no Brasil entre 15% e 20%. Além disso, Botín anunciou que o banco tem um plano para abrir uma linha de financiamento de até R$ 5 bilhões para projetos de infraestrutura a médio e longo prazo.

Em sua opinião, os investimentos se justificam sobretudo em um cenário no qual o Brasil crescerá 3% em 2013, segundo seus cálculos.

"Estou convencido de que o ano 2013 será melhor do que o ano passado e o Banco Santander acredita na economia pois no ano passado houve um crescimento de 1%, o que é pouco para o Brasil, mas comparado com a Europa, está muito bom", afirmou.

Além disso, Botín anunciou que o banco vai promover um grande encontro de universidades no Brasil em 2014, que contará com a participação de 1.100 reitores de todo o mundo.

Ainda no setor da educação, Botín disse que comunicou à Dilma um plano para incentivar o ensino do espanhol nas universidades brasileiras. EFE

Carregando...