Mercado fechado

Presidente do Santander compara home office a deserção em conversa com funcionários

JOANA CUNHA
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 02.12.2019: Presidente do Santander, Sergio Rial, durante almoço de confraternização dos dirigentes de bancos, em São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

Em uma conversa com funcionários na sexta-feita (20), o presidente do Santander, Sérgio Rial, falou em deserção para se referir a quem quis trocar o trabalho presencial no banco pelo home office na crise do coronavírus.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O termo assustou os funcionários que assistiam às declarações do executivo por meio de uma vídeo conferência.

Leia também

Procurada pela reportagem neste domingo (22), a assessoria de imprensa do Santander, a princípio, negou que Rial tivesse falado em deserção.

Nesta segunda (23), porém, o banco enviou comunicado com uma lista de ações que vem tomando para mitigar o impacto da doença e diz que "dentro desse contexto, discutiu-se o cuidado necessário que cada um deve ter com absenteísmo, dadas as diferentes e compreensíveis reações humanas".

O comunicado do Santander lista antecipação de 13º salário, fechamento de agências, redução de horas de atendimento ao público, trabalho remoto em centrais de atendimento, estímulo ao uso do internet banking e outros. Diz também que hoje, dois terços dos 47 mil funcionários estão em home office e funcionários com mais de 60 anos ou de alto risco foram colocados em férias.

Funcionários do banco dizem que estão inseguros com a eficácia do sistema de home office no Santander, que está fazendo rodízio das equipes, ou seja, uma parte dos profissionais fica em casa, mas retorna ao escritório dias depois, enquanto quem ficou no banco passa a trabalhar de casa, segundo eles.

"A instituição lamenta ver o uso do espaço da mídia, neste momento crítico, para comentários desta natureza", afirma o comunicado enviado pelo Santander.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.