Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +997,93 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,23 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,71
    +1,73 (+2,16%)
     
  • OURO

    1.813,40
    +3,80 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.105,65
    +156,25 (+0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,95
    +3,53 (+0,88%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,88 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,05 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.769,46
    -8,44 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    11.996,75
    -13,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4985
    +0,0045 (+0,08%)
     

Presidente do PSOL elogia carta econômica de Lula que frustrou mercado

*** FOTO DE ARQUIVO *** SAO PAULO, SP, 29.09.2022: Lula no debate da Globo - políticos e artistas se reúnem para assistir ao debate dos presidenciáveis hoje na Globo, no Studio SP, na rua Augusta. Na foto, Juliano Medeiros (presidente nacional do Psol). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
*** FOTO DE ARQUIVO *** SAO PAULO, SP, 29.09.2022: Lula no debate da Globo - políticos e artistas se reúnem para assistir ao debate dos presidenciáveis hoje na Globo, no Studio SP, na rua Augusta. Na foto, Juliano Medeiros (presidente nacional do Psol). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Presidente do PSOL, Juliano Medeiros diz que gostou da carta econômica lançada por Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que foi recebida de má vontade por investidores.

"É um bom documento, na linha do que o Lula vem dizendo na campanha. Seria preocupante se fosse destinado à Faria Lima, falando só de superávit primário, por exemplo", diz.

Lula lançou na quinta-feira (27) o documento em que promete combinar responsabilidade fiscal e social, caso eleito. Se a intenção era dar sinais mais claros ao mercado, no entanto, o documento foi recebido com frustração.

"A política fiscal responsável deve seguir regras claras e realistas, com compromissos plurianuais, compatíveis com o enfrentamento da emergência social que vivemos e com a necessidade de reativar o investimento público e privado para arrancar o país da estagnação", diz o texto. "Temos consciência da nossa responsabilidade."