Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,23
    +0,35 (+0,49%)
     
  • OURO

    1.868,00
    +2,10 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    40.491,41
    +1.362,88 (+3,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.013,35
    +44,51 (+4,59%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.405,14
    +243,34 (+0,83%)
     
  • NASDAQ

    14.148,25
    +23,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1437
    +0,0122 (+0,20%)
     

Presidente mexicano diz que banco central terá novo chefe com "dimensão social"

·1 minuto de leitura
Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta sexta-feira que não proporá um novo mandato para o atual presidente do banco central e, em vez disso, indicará um economista com "dimensão social".

O mandato atual do chefe do Banxico (BC mexicano), Alejandro Díaz de León, termina em 31 de dezembro.

Em coletiva de imprensa regular, López Obrador disse que o mandato de Díaz de León estará "terminado" e que indicará um economista de "prestígio" para o cargo.

"Será um economista com dimensão social, muito favorável à economia moral", disse López Obrador.

O novo presidente do Banxico será "um profissional que vai cumprir os requisitos de ter experiência em questões econômicas e financeiras", acrescentou.

O peso mexicano, que rondava estabilidade um pouco antes da notícia, rapidamente entrou em rota de queda e, por volta de 12h50 (de Brasília), cedia 0,4%, para 19,9340 por dólar, ante 19,8569 por dólar pouco antes dos primeiros relatos.

Nos últimos dias López Obrador apontou a mira para Díaz de León --nomeado pelo governo anterior--, culpando-o pelo fracasso do banco central em obter um superávit operacional em 2020, que o governo esperava aproveitar.

López Obrador, que frequentemente critica governos anteriores, disse que o Banxico não aprovou sua administração. A maioria da diretoria, entretanto, foi nomeada sob sua Presidência.

A indicação por López Obrador de um novo presidente para o BC precisa ser aprovada pelo Senado mexicano.