Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.201,71
    -285,80 (-0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Presidente do México espera que Biden detenha políticas contra Cuba

·1 minuto de leitura
O presidente cubano Miguel Diaz-Canel (C) e sua esposa, a primeira-dama cubana Lis Cuesta (e) e o presidente do México, Andres Manuel Lopez Obrador (AFP/Alfredo ESTRELLA)

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta quinta-feira (16) que espera que seu homólogo americano Joe Biden encerre as políticas contra Cuba, especialmente o embargo econômico.

López Obrador falou com seu homólogo cubano, Miguel Díaz-Canel - convidado de honra do desfile militar que celebrou os 211 anos do início da luta pela independência do México.

"Espero que o presidente Biden, que possui suficiente sensibilidade política, aja com essa grandeza e ponha um fim para sempre à política de queixas contra Cuba", expressou o presidente de esquerda.

Díaz-Canel agradeceu a "solidariedade" do México em um momento em que Cuba enfrenta - segundo disse - "os embates de uma guerra multidimensional" com o bloqueio econômico reforçado e uma "agressiva campanha de ódio, desinformação, manipulação e mentiras" nas redes sociais, além da pandemia de covid-19.

O presidente cubano realiza no México sua primeira viagem ao exterior desde os protestos que abalaram a ilha em julho passado, com saldo de um morto, dezenas de feridos e centenas de detidos.

López Obrador também pediu "respeitosamente" a Washington que levante o embargo contra Cuba, afirmando que "nenhum Estado tem o direito de submeter outro povo, a outro país".

Ele acrescentou que essas medidas impedem o bem-estar do povo cubano "com o propósito de que este, obrigado pela necessidade, tenha que enfrentar seu próprio governo".

A Independência é o feriado nacional do México e as celebrações estão marcadas pela cerimônia do "grito" na noite de 15 de setembro e o desfile no dia 16.

sem/axm/yow/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos