Mercado fechado

Presidente do Fed que argumentos para alta de juros são 'fortes'

Presidente do Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano), Jerome Powell

O desemprego em nível historicamente baixo e os sinais de aumento da inflação são um "forte" argumento para o aumento contínuo e estável das taxas de juros, disse nesta quarta-feira (20) o presidente do Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano), Jerome Powell.

O Fed adotou neste mês seu sétimo aumento desde 2015 e prevê um ritmo acelerado de alta das taxas de juros de referência, prevendo um total de quatro altas no ano devido à contratação e à atividade econômica robustas e ao aumento dos preços.

Dadas as condições atuais, e com "os riscos para as perspectivas mais ou menos equilibradas, o argumento para aumentos graduais contínuos na taxa dos fundos federais é forte", disse Powell em um discurso em um fórum do Banco Central Europeu em Portugal.

O Fed ficou confuso no ano passado pela fraqueza prolongada da inflação, embora o desemprego tenha diminuído constantemente.

Mas a pressão sobre os preços começou a aparecer agora: a inflação está caminhando para a meta de 2% do Fed. Ainda assim, o banco central sinalizou que não irá reagir de forma exagerada, permitindo que a inflação fique um pouco acima do alvo para compensar os anos mais fria.