Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,09
    -1,58 (-2,52%)
     
  • OURO

    1.785,80
    +7,40 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    55.389,30
    -537,65 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.273,05
    +38,63 (+3,13%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.866,63
    +6,76 (+0,10%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.750,25
    -44,00 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6636
    -0,0389 (-0,58%)
     

Presidente do São Paulo responde sobre volta de Calleri

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Calleri tem quatro gols em 22 jogos pelo Osasuna (Juan Manuel Serrano/Getty Images)
Calleri tem quatro gols em 22 jogos pelo Osasuna (Juan Manuel Serrano/Getty Images)

Nenhuma especulação é tão antiga no São Paulo quanto o retorno de Calleri. E o torcedor tricolor voltou a ter esperanças depois que a TNT Sports na Argentina assegurou que Hernán Crespo fez o pedido à diretoria pela contratação do argentino, atualmente no Osasuna, da Espanha.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

"Não vejo nenhuma chance", respondeu o presidente do São Paulo, Julio Casares, em contato com o Blog. A possibilidade foi prontamente descartada diante das cifras envolvidas.

Leia também:

Calleri tem 27 anos, ganha em euro e a moeda estrangeira hoje vale quase sete vezes mais do que a nossa. Para completar, os investidores uruguaios que o compraram no fim de 2015 ainda têm esperança de recuperar parte do dinheiro gasto e sonham em vendê-lo.

Acontece que o São Paulo tem à disposição menos de R$ 27 milhões para investir em contratações ao longo da temporada. Até por isso, a prioridade é por jogadores livres, como Borré, cujo contrato com o River Plate termina na metade do ano. O problema com o colombiano e a alta pedida: US$ 5 milhões em luvas e mais US$ 2 milhões por ano de salários. Tudo livre de impostos.

Calleri já esteve em cinco times diferentes desde que deixou o Morumbi, após seis meses mágicos, com direito a 16 gols, sendo nove na Libertadores. O argentino defendeu West Ham, Las Palmas, Alavés, Espanyol e Osasuna. Isso porque ninguém o comprou.