Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    36.462,00
    +356,15 (+0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Bolsonaro defende secretário da Pesca por fala sobre peixe 'inteligente'

Live Bolsonaro 07/11 - Foto: Reprodução/Facebook
Live Bolsonaro 07/11 - Foto: Reprodução/Facebook

Resumo da notícia

  • "Imagina se o peixe não desviasse do óleo? Estaria matando peixe 24 horas por dia", diz Bolsonaro

  • Presidente aprova Enem e diz que não haverá mais "desinformação" na prova

Por Marcos Tordesilhas

Apesar de o país ter voltado as atenções para o julgamento sobre prisão em segundo instância no STF, o presidente Jair Bolsonaro manteve sua transmissão semanal e levou novamente o secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior, à sua live nas redes sociais, nesta quinta-feira (7), e o defendeu de uma fala polêmica dita na transmissão da semana passada.

Na ocasião, Seif afirmou que não havia risco para o consumo alimentar dos peixes do Nordeste, apesar da mancha de óleo que atinge o mar da região, porque "o peixe é um bicho inteligente". "Quando ele vê uma manta de óleo ali, ele foge, tem medo", justificou o secretário, que também é empresário do ramo de pesca. A opinião dele, que virou meme nas redes sociais, foi rebatida por alguns biólogos, que pediram cautela em relação a essa avaliação.

Leia também

Bolsonaro iniciou a live brincando com Seif Júnior, uma figura constante nas transmissões semanais do presidente. "Mancha de óleo no mar: você desvia dela?". O secretário brincou dizendo que é "inteligente igual ao peixe". Na sequência, foi defendido por Bolsonaro.

"Ele falou isso na semana passada e houve uma série de criticas, o pessoal zoou dele, que o peixe é inteligente... Uma mancha de óleo no mar de muitos quilômetros... imagina se o peixe não desviasse? Estaria matando peixe 24 horas por dia e estaria chegando na praia. Isso não é verdade", justificou Bolsonaro.

"É lógico que alguns morrem em função da mancha, em especial os que vivem na superfície e têm dificuldade para respirar, como o golfinho. Acontece, mas o peixe tem inteligência", disse o presidente, que emendou com uma brincadeira. "Afinal de contas, quantas vezes você está pescando, a isca é boa e ele desconfia e não morde o anzol?"

Seif Júnior, então, disse que o fato é que o peixe desvia da mancha "e tem teses escritas no Departamento de Atmosfera e Oceanos nos EUA sobre isso". "Mas, de uma forma descontraída, a gente fala para o povão de uma forma descontraída e irreverente, e o pessoal pegou no pé", afirmou o secretário.

Bolsonaro acrescentou dizendo que o peixe "foge de tudo que é diferente". "Ele vê que você é diferente e foge de você, é natural. Mas o pessoal que quer criticar, critica, paciência", disse.

Enem

Na live desta quinta-feira, Bolsonaro não abordou assuntos polêmicos como em semanas anteriores, mas aproveitou para falar do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), e ironizar a imprensa, que noticiou que a prova não abordou questões ligadas à temática LGBT ou à ditadura militar brasileira.

Segundo a Folha de S.Paulo, foi a primeira vez em 10 anos de Enem, no atual formato, que a prova não tratou do regime militar no Brasil, um tema sensível a Bolsonaro.

"Certas questões que a imprensa sentiu falta, disse que pela primeira vez não houve questão sobre tal assunto. O que não houve foi desinformação. Porque quando tratavam dessas questões, era só mentira", declarou o presidente.