Mercado fechado

Presidente da ZTE confirma CPU própria de 5 nm para 2021

Rubens Eishima

Durante a conferência anual dos acionistas da ZTE, o presidente da fabricante chinesa Xu Ziyang confirmou que a empresa lançará uma CPU própria no ano que vem utilizando o processo de fabricação de 5 nm.

A técnica de fabricação já está em uso, mas nenhum produto foi lançado oficialmente com um processador com essa litografia. Acredita-se que os novos iPhones, esperados para o segundo semestre, sejam alguns dos primeiros com a utilizá-la.

A ZTE investiu pesado em seu departamento de desenvolvimento de chips com o objetivo de diminuir a dependência de empresas como a norte-americana Qualcomm e a taiwanesa MediaTek. Estratégia semelhante foi adotada pela Huawei, que há alguns anos projeta seus próprios processadores sob a marca HiSilicon.

Ziyang afirmou ainda que um processador ZTE utilizando o processo de 7 nm já está em fabricação. Assim como a Huawei, Qualcomm, Apple e demais projetistas de CPUs, a empresa utiliza os serviços de empresas terceirizadas como a TSMC para a produção dos processadores.

A ZTE não deu mais informações sobre as especificações de seu chip de 5 nm nem informou qual celular da empresa utilizará o processador.

ZTE foi fortemente impactada por sanções dos EUA (imagem: Reuters)

Efeito da guerra comercial

O anúncio é mais um resultado da guerra comercial entre EUA e China, que levou as empresas chinesas a investir em soluções que reduzissem sua dependência de tecnologias importadas. O passo seguinte é desenvolver as empresas locais dedicadas à fabricação de processadores – por exemplo a SMIC – para não depender de estrangeiras como a TSMC e a Samsung Foundry.

Em 2018 a empresa praticamente fechou as portas no ocidente após ser proibida pelo governo dos EUA de comprar chips da norte-americana Qualcomm, sanção da qual ainda se recupera mesmo após o fim da restrição.

Fonte: Canaltech