Mercado abrirá em 9 h 46 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,04
    -0,04 (-0,05%)
     
  • OURO

    1.776,30
    -7,10 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    32.606,00
    -1.274,80 (-3,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    783,14
    -27,05 (-3,34%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.074,06
    -15,95 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.867,92
    +50,85 (+0,18%)
     
  • NIKKEI

    28.920,12
    +45,23 (+0,16%)
     
  • NASDAQ

    14.298,75
    +35,75 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9265
    -0,0020 (-0,03%)
     

Presidente da Intel: escassez de chips pode durar dois anos ou mais

·2 minuto de leitura
Presidente da Intel: escassez de chips pode durar dois anos ou mais
Presidente da Intel: escassez de chips pode durar dois anos ou mais

O presidente da Intel, Pat Gelsinger, afirmou nesta segunda-feira (31) que a falta de chips no mercado de tecnologia pode persistir para além de 2022. A carência do produto acontece em virtude da intensa procura por semicondutores, que cresceu desde o início da pandemia da Covid-19.

Gelsinger, líder da maior fábrica de chips dos EUA, afirmou em evento online que pequenos ajustes na cadeia de suprimentos podem ajudar no curto prazo, mas a construção de novas indústrias para regularizar a produção ainda pode levar anos.

O problema já está atingido fortemente a indústria automotiva e também pode ser sentido na capacidade produtiva de outros setores, especialmente na manufatura de computadores e outros equipamentos.

Imagem mostra um computador, com os adesivos do processador Intel Core i3 e do Windows 7 colados em sua base. falta de chips 2021
A indústria de computadores é um dos setores que está sofrendo impacto do aumento da demanda por semicondutores desde o início da pandemia. Imagem: Piotr Swat/Shutterstock

No evento, o executivo da Intel ainda falou: “Planejamos expandir para outros locais nos EUA e Europa, para assegurar uma cadeia de abastecimento segura para o mundo”, concluiu ele, sem dar mais detalhes.

Em março, a empresa anunciou um plano ambicioso de US$ 20 bilhões para ampliar a capacidade de produção de chips avançados, além da construção de duas fábricas localizadas no estado do Arizona.

Em abril, Gelsinger já havia alertado para o problema no suprimento de chips, em entrevista dada para o jornal Washington Post.

Na ocasião, a General Motors e a Ford anunciaram a desativação de várias fábricas em território norte-americano com o objetivo de conter o problema no suprimento de semi-condutores.

Veja também!

Em outra frente, o governo Biden também sinalizou o envio de US$ 50 bilhões como subsídio para a fabricação de semicondutores. Uma ideia que conquistou apoio consensual tanto do Partido Democrata quanto do Republicano.

Uma associação do setor automotivo mostrou interesse pela proposta e sugeriu que uma parte do investimento estatal seja direcionado para impulsionar a capacidade industrial de chips para automóveis.

A atitude do governo americano, entretanto, só deve trazer resultados no longo prazo.

Via: Estadão

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos